12/11/12

Veja que lixo!




Riobaldo, CABRA macho, se apaixonou por Diadorim, que ele julgava ser um homem

Eu havia prometido não responder à coluna do ex-diretor de redação de Veja, José Roberto Guzzo, para não ampliar a voz dos imbecis. Mas foram tantos os pedidos, tão sinceros, tão sentidos, que eu dominei meu asco e decidi responder.

A coluna publicada na edição desta semana do libelo da editora Abril — e que trata sobre o relacionamento dele com uma cabra e sua rejeição ao espinafre, e usa esses exemplos de sua vida pessoal como desculpa para injuriar os homossexuais — é um monumento à ignorância, ao mau gosto e ao preconceito.

Logo no início, Guzzo usa o termo “homossexualismo” e se refere à nossa orientação sexual como “estilo de vida gay”. Com relação ao primeiro, é necessário esclarecer que as orientações sexuais (seja você hétero, lésbica, gay ou bi) não são tendências ideológicas ou políticas nem doenças, de modo que não tem “ismo” nenhum. São orientações da sexualidade, por isso se fala em “homossexualidade”, “heterossexualidade” e “bissexualidade”. Não é uma opção, como alguns acreditam por falta de informação: ninguém escolhe ser homo, hétero ou bi.

O uso do sufixo “ismo”, por Guzzo, é, portanto, proposital: os homofóbicos o empregam para associar a homossexualidade à ideia de algo que pode passar de uns a outros – “contagioso” como uma doença – ou para reforçar o equívoco de que se trata de uma “opção” de vida ou de pensamento da qual se pode fazer proselitismo.

Não se trata de burrice da parte do colunista portanto, mas de má fé. Se fosse só burrice, bastaria informar a Guzzo que a orientação sexual é constitutiva da subjetividade de cada um/a e que esta não muda (Gosta-se de homem ou de mulher desde sempre e se continua gostando); e que não há um “estilo de vida gay” da mesma maneira que não há um “estilo de vida hétero”.

A má fé conjugada de desonestidade intelectual não permitiu ao colunista sequer ponderar que heterossexuais e homossexuais partilham alguns estilos de vida que nada têm a ver com suas orientações sexuais! Aliás, esse deslize lógico só não é mais constrangedor do que sua afirmação de que não se pode falar em comunidade gay e que o movimento gay não existe porque os homossexuais são distintos. E o movimento negro? E o movimento de mulheres? Todos os negros e todas as mulheres são iguais, fabricados em série?

A comunidade LGBT existe em sua dispersão, composta de indivíduos que são diferentes entre si, que têm diferentes caracteres físicos, estilos de vida, ideias, convicções religiosas ou políticas, ocupações, profissões, aspirações na vida, times de futebol e preferências artísticas, mas que partilham um sentimento de pertencer a um grupo cuja base de identificação é ser vítima da injúria, da difamação e da negação de direitos! Negar que haja uma comunidade LGBT é ignorar os fatos ou a inscrição das relações afetivas, culturais, econômicas e políticas dos LGBTs nas topografias das cidades. Mesmo com nossas diferenças, partilhamos um sentimento de identificação que se materializa em espaços e representações comuns a todos. E é desse sentimento que nasce, em muitos (mas não em todas e todos, infelizmente) a vontade de agir politicamente em nome do coletivo; é dele que nasce o movimento LGBT. O movimento negro — também oriundo de uma comunidade dispersa que, ao mesmo tempo, partilha um sentimento de pertença — existe pela mesma razão que o movimento LGBT: porque há preconceitos a serem derrubados, injustiças e violências específicas contra as quais lutar e direitos a conquistar.

A luta do movimento LGBT pelo casamento civil igualitário é semelhante à que os negros tiveram que travar nos EUA para derrubar a interdição do casamento interracial, proibido até meados do século XX. E essa proibição era justificada com argumentos muito semelhantes aos que Guzzo usa contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Afirma o colunista de Veja que nós os e as homossexuais queremos “ser tratados como uma categoria diferente de cidadãos, merecedora de mais e mais direitos”, e pouco depois ele coloca como exemplo a luta pelo casamento civil igualitário. Ora, quando nós, gays e lésbicas, lutamos pelo direito ao casamento civil, o que estamos reclamando é, justamente, não sermos mais tratados como uma categoria diferente de cidadãos, mas igual aos outros cidadãos e cidadãs, com os mesmos direitos, nem mais nem menos. É tão simples! Guzzo diz que “o casamento, por lei, é a união entre um homem e uma mulher; não pode ser outra coisa”. Ora, mas é a lei que queremos mudar! Por lei, a escravidão de negros foi legal e o voto feminino foi proibido. Mas, felizmente, a sociedade avança e as leis mudam. O casamento entre pessoas do mesmo sexo já é legal em muitos países onde antes não era. E vamos conquistar também no Brasil!

Os argumentos de Guzzo contra o casamento igualitário seriam uma confissão pública de estupidez se não fosse uma peça de má fé e desonestidade intelectual a serviço do reacionarismo da revista. Ele afirma: “Um homem também não pode se casar com uma cabra, por exemplo; pode até ter uma relação estável com ela, mas não pode se casar”. Eu não sei que tipo de relação estável o senhor Guzzo tem com a sua cabra, mas duvido que alguém possa ter, com uma cabra, o tipo de relação que é possível ter com um cabra — como Riobaldo, o cabra macho que se apaixonou por Diadorim, que ele julgava ser um homem, no romance monumental de Guimarães Rosa. O que ele, Guzzo, chama de “relacionamento” com sua cabra é uma fantasia, pois falta o intersubjetivo, a reciprocidade que, no amor e no sexo, só é possível com outro ser humano adulto: duvido que a cabra dele entenda o que ele porventura faz com ela como um “relacionamento”.

Guzzo também argumenta que “se alguém diz que não gosta de gays, ou algo parecido, não está praticando crime algum – a lei, afinal, não obriga nenhum cidadão a gostar de homossexuais, ou de espinafre, ou de seja lá o que for”. Bom, nós, os gays e lésbicas, somos como o espinafre ou como as cabras. Esse é o nível do debate que a Veja propõe aos seus leitores.

Não, senhor Guzzo, a lei não pode obrigar ninguém a “gostar” de gays, lésbicas, negros, judeus, nordestinos, travestis, imigrantes ou cristãos. E ninguém propõe que essa obrigação exista. Pode-se gostar ou não gostar de quem quiser na sua intimidade (De cabra, inclusive, caro Guzzo, por mais estranho que seu gosto me pareça!). Mas não se pode injuriar, ofender, agredir, exercer violência, privar de direitos. É disso que se trata.

O colunista, em sua desonestidade intelectual, também apela para uma comparação descabida: “Pelos últimos números disponíveis, entre 250 e 300 homossexuais foram assassinados em 2010 no Brasil. Mas, num país onde se cometem 50000 homicídios por ano, parece claro que o problema não é a violência contra os gays; é a violência contra todos”. O que Guzzo não diz, de propósito (porque se trata de enganar os incautos), é que esses 300 homossexuais foram assassinados por sua orientação sexual! Essas estatísticas não incluem os gays mortos em assaltos, tiroteios, sequestros, acidentes de carro ou pela violência do tráfico, das milícias ou da polícia.

As estatísticas se referem aos LGBTs assassinados exclusivamente por conta de sua orientação sexual e/ou identidade de gênero! Negar isso é o mesmo que negar a violência racista que só se abate sobre pessoas de pele preta, como as humilhações em operações policiais, os “convites” a se dirigirem a elevadores de serviço e as mortes em “autos de resistência”.

Qual seria a reação de todas e todos nós se Veja tivesse publicado uma coluna em que comparasse negros e negras com cabras e judeus com espinafre? Eu não espero pelo dia em que os homens e mulheres  concordem, mas tenho esperança de que esteja cada vez mais perto o dia em que as pessoas lerão colunas como a de Guzzo e dirão “veja que lixo!”.

Jean Wyllys

Deputado Federal (PSOL-RJ)

 

 

 

 

 

[gplusbutton]



471 Comentários to “Veja que lixo!”

  1. João Dias diz:

    Muito bem dito como sempre Jean, faço das suas as minhas palavras, parabéns!

  2. Giulianella Furlan diz:

    Magnífica resposta! Parabéns Jean. Minha admiração por sua sobriedade argumentativa cresce a cada texto.
    Pensei que Veja já tivesse atingido o fundo do esgoto. Percebo que me enganei: desceu ainda mais.

  3. Ruy diz:

    Parabéns, texto extremamente bem escrito. E em relação ao ínicio, não há porque calar-se, devemos sempre responder(combater) certas colunas, sejam elas de quaisquer conteúdo, principalmente sendo tão tendencioso como esse do Senhor Guzzo, o importante é debater. :)

  4. Ronnie diz:

    Parabéns ao Sr. Jean Wyllys por sua disposição à vida, pessoas e, acima de tudo, à democracia! Sou MAIS seu fã! Com grande admiração e respeito, te desejo saúde e prosperidade em sua caminhada!
    Abs,
    Ronnie Zamorata

  5. Karla Lima diz:

    Fabuloso, Jean – dá vontade de imprimir e emoldurar. Adorei e estou enviando o link por email para toda a minha lista de contatos. Lucidez + ironia = combinação imbatível. Obrigada e um beijo.

  6. pedro diz:

    texto magistral!

  7. Edson Amaro de Souza diz:

    Jean, cada dia você me surpreende mais. É um orgulho dizer que somos correligionários!

  8. Heloísa Libório diz:

    Jean, Desde que vc surgiu na minha vida (na mídia), acho suas intervenções sempre oportunas e ponderadas. Sou baiana de SSA, já morei em Alagoinhas. Um dia, quero abraçá-lo pessoalmente e agradecer por falar em meu nome coisas que gostaria de dizer como cidadã. Xêros afetuosos, Heloísa

  9. sergio mario diz:

    Grande Jean! Ótimo texto ainda que escrito a respeito de um detrito tóxico. A tal revista está cada vez pior no seu caminho sem volta para o desaparecimento.

  10. Patricia Watson Portugal diz:

    Muito obrigada Jean pelo seu texto! Simples, contundente e inquestionavelmente bem embasado! Meus parabéns! Disse tudo!

  11. nina caetano diz:

    para você, toda a minha admiração! obrigada por mais um texto não somente elucidativo, mas bastante lúcido.

  12. Roberto Pedreira diz:

    Parabéns pelo texto, por expressar tão clara e precisamente o quão lamentáveis, odiosos e desnecessários são os atos da revista e de seu colunista. obrigado!

  13. Ronaldo Alves diz:

    Olá Jean, sou Coordenador do Museu Casa Guimarães Rosa que fica em Cordisburgo na Casa onde nasceu o escritor. Parabéns pela sua resposta ao Sr. José Roberto Guzzo. Espero que ele possa refletir melhor quanto às suas opiniões e aprenda a respeitar as pessoas, pois como você mesmo disse, lutamos para sermos todos iguais com mesmos direitos. Abraço, Ronaldo.

  14. Rita Candeu diz:

    formidável

    vc. Jean é fantástico

  15. Valder Cantidio diz:

    Parabéns Jean,

    Um texto bem escrito que responde na medida certa o texto desta revista que é um Lixo do índice à última página onde este energúmeno chamado José Roberto Guzzo escreve…

    Valder Cantidio

  16. Luiz Guilherme Amorim de Castro diz:

    Caríssimo deputado,
    Eu tenho um imenso orgulho do senhor. Fiquei extremamente inquieto ao saber do tal texto (mas me recuso a ler VEJA), porque é um sinal muito forte quando o maior bastião da direita brasileira resolve apedrejar um movimento civil em prol dos direitos humanos. Não vou entrar no mérito do porquê de VEJA fazer isso, mas fico reconfortado ao ver que pessoas como o senhor se prontificam a defender os interesses de uma parcela da população (que me afeta diretamente). Todos os argumentos que montei na minha cabeça, o senhor explorou magistralmente. Durmo hoje inquieto por saber que alguém do peso de JRGuzzo se prontifica a propagar a intolerância, mas também aliviado por tê-lo, deputado, como representante na Câmara dos Deputados. O Brasil igualitário agradece.

  17. jOSÓ OLINDA BRAGA diz:

    Queria muito ter um deputado assim, aqui pelo Ceará. Infelizmente ainda não.

  18. Max diz:

    Olha. Você falou tudo que estava engasgado aqui. Acho sim que temos que responder. E nesse caso não cabe um processo?

    Liberdade de expressão sempre. Mas que cada um arque com as consequências!

    Grande abraço!

  19. Lucas Sobreira diz:

    Estava cansado de ler sobre tantos ataques vestidos de publicações respeitosas, de boas vírgulas e acentos empregados pra desmerecer a luta LGBT. Quando me falaram sobre a matéria na revista evitei ao máximo para me sentir mal. Ainda bem que não o fiz e vim ler sua resposta. Parece que acreditam que fomos feitos pra apanhar e cuspir. Ainda bem que você se dispõe, queria ter sua força.

  20. Mari diz:

    Maravilhoso texto!

  21. Flavio diz:

    Jean Wyllys, meus parabéns pelo teu trabalho, saiba q tens em mim um cidadão q te admira e te aplaude.

    O q mais me causa indignação não é a homofobia praticada por incultos q apenas repetem opinioes repassados ao longo dos tempos ou as mentes fracas manipuladas pelos gangsteres das seitas religiosas.

    O q mais causa revolta e assombro é saber q existem pessoas e veículos q se auto intitulam sérios e comprometidos com a evolução da sociedade (e tidos como tal por grande parte da população), e q usam de uma pseudo preocupação social para intencionalmente veicular ideias reacionárias e completamente direcionada aos interesses pessoais e de seus asseclas.
    Eles sabem q nao estao sendo honestos, nem mesmo com suas próprias ideologias (se têm alguma), eles sabem q estão usando recursos retóricos q só as pessoas a quem se destina são capazes de não enxergar a manipulaçao intencional; aliás a maior arte deles é justamente criar esse tipo de retórica, de discurso. Não são burros. Não são idiotas nem estúpidos. São mal intencionados mesmo, fazem de propósito, mesmo sabendo q estão mentindo, q estão manipulando, q estão sendo intelectualmente desonestos.

    Imagino q o cara deve ter se congratulado intimamente quando veio-lhe a ideia da metáfora da cabra, sabendo q agradaria em cheio aos partidários de suas ideias e o mundo mesmo tempo ofenderia aos q pensam com dignidade e nobreza de carater sobre a questao da luta pelos direitos civis do movimento LGBT.

    Minha alegria é saber q eles podem espernear, mas nao podem impedir o futuro. E o futuro vai chegar, e nós estaremos aguardando, pra quando o carnaval chegar.

    Um abraço, sou seu fã.

  22. Jailson Noetzold diz:

    Parabéns pela clareza. Merece e merecerá sempre o meu voto.

  23. Cristiano Magalhaes diz:

    Acho perfeito cada colocação feita em seu texto. De ótima categoria e claro, deixando bem claro o que estes “ditos intelectuais” no fundo querem passar!
    Parabens!!!

  24. MARCOS CARIOCA diz:

    Sinto orgulho de ser gay e ter um gay como vc, Jean, inteligente e honesto, me representando e me defendendo… VC EH GRANDIOSO! e qto a esse Guzzo aposto que nem sua cabra o ache digno de ser apresentado em casa.

  25. Oliver diz:

    Orgulho tremendo de poder dizer que temos Jean Wyllys como deputado neste país !

  26. Elizabeth de Almeida Krausz diz:

    Mas é um lixo mesmo.

  27. Ana Carolina diz:

    Texto perfeito, bem escrito e com argumentação brilhante! Nessas horas eu sinto orgulho de já ter militado pelo movimento LGBT! Parabéns, deputado!

  28. Dani diz:

    Obrigada por sua manifestação. Obrigada por honrar sua posição como representante do povo brasileiro. Grata que existam alguns “Jeans”, já que por aí espalham-se tantos “Guzzos” puxando suas cabras expiatórias pela coleira…

  29. Elias Rovielo diz:

    Obrigado por nos defender e dar uma resposta digna. Continue o excelente trabalho. Será recompensado.

  30. Aldo Cordeiro diz:

    Parabéns pelo texto lúcido, esclarecedor. Esta é uma luta que vai durar um tempo, mas acredito que o bom senso prevalecerá. Não interessa apenas aos LGBTs. Somos todos humanos e dignos dos mesmos direitos. Veja é um panfleto tendencioso em forma de revista. Não leio.

  31. marina diz:

    Excelente, deputado, a começar pelo título.

  32. Mirna Marino Duarte diz:

    Prezado,
    Eu me pergunto o que leva um ser humano a querer se intrometer na vida íntima de tantos e tantos outros, pois é disso que se trata: uma pessoa (ou pessoas!) creem ser o supra sumo do Universo quando pensam terem o poder de negar um direito a outros seres humanos, aqui, o direito de ter a orientação sexual que se deseja, ter direitos como qualquer cidadão e viver de fato suas vidas plenamente! Quanta imbecilidade! Espero que daqui a uns 50 anos, nossos sucessores olhem para artigos como esse da Veja e lamentem pelo primitivismo!

  33. Sérgio Tadeu Albino diz:

    Excelente discurso contra os reacionários da Veja. A tempos essa pseudo-revista merece ser execrada dos meios de comunicação brasileiro. E por sinal, adorei o início citando Geni e o Zepelim.

  34. Bruno Azevedo diz:

    Obrigado, Jean, por não ter se calado e ter respondido à esse absurdo. Sou baiano como você e moro em um dos estados em que mais se mata homossexuais e não dá pra ficar inerte ao ver uma cachoreira de absurdos como a publicada na veja. Me envergonho de ver que em pleno sec. 21 ainda há pessoas que desrespeitam os outros apenas por sua condição sexual.

  35. Carmen willcox diz:

    Jean, tu és brilhante! Muito fera, sou sua fã desde o BBB!

  36. Valdeck Almeida de Jesus diz:

    Lindo, Jean. Político, inteligente, corretíssimo. Você merece tantos troféus e aplausos que vem recebendo, pela postura ética, coerente e cidadã que exerce sempre que é solicitado e por vontade também.

  37. Alderley Carvalho diz:

    Ótimo texto, excelente resposta. Fico triste e ao mesmo tempo revoltado de como um meio de comunicação, nesse caso uma revista periódica semestral, pode colocar artigos maldosos como esse, mentirosos e infelizmente servir de fonte de informação para uma grande parte da sociedade. Sou a favor da liberdade de expressão, cada um pode dizer o que quer e bem entender, mas não um veículo sério, onde não se tem o direito de resposta com o mesmo espaço…

  38. Eduardo diz:

    Bela resposta! Enfatizou bem o que foi (e que é um padrão de atitudes, diga-se de passagem) a reportagem: uma manipulação de informações e comparações absurdas para provar um ponto segregacionista. Parabéns pelo texto

  39. Odival Q. Neto diz:

    Olá Jean. Gostaria de dizer que a sua resposta à “coluna” do José Roberto Guzzo está excelente. É um verdadeiro alívio ver que entre tantos políticos corruptos, reacionários e etc, encontramos pessoas compromissadas com uma visão crítica da realidade, bem como profundamente ética.
    No começo do texto você explica que nem pretendiar redigí-lo “para não ampliar a voz dos imbecis”. No entanto, gostaria de dizer a você que se por um lado você inadvertidamente pode estar ajudando a dar “ibope” aos imbecis, por outro você está divulgando informações muito importantes que são constantemente compartilhadas nas redes sociais. Espero que este último fato o encoraje a sempre correr esse risco de ampliar a voz dos imbecis, em troca da divulgação de de sua visão séria e despojada de preconceitos sobre uma temática muito importante.

  40. Lucas diz:

    Esse “homem” é repugnante, baixo, estupido, como uma pessoa tem a desfaçatez de fazer chacota com milhares de pessoas que foram e são assassinadas todos os dias em nosso pais. Como ele acha que os familiares dessas pessoas sem sentem ao ler esse desrespeitoso texto? Vamos usar nossa imaginação para ver como esse artigo é absurdo, proponho que se troque a palavra gay ou homossexual pela palavra negro ou judeu ou mulher ou cristão. Esse senhor seria preso! Pq então fazer isso com os gays é aceitável! Eu quero respeito! Como um estupido me escreve um artigo de 3 paginas comparando meu relacionamento com uma cabra? Eu quero esse bandido na cadeia! Se ele falasse o mesmo de negros, judeus, mulheres seria preso! Quero leis iguais e não privilegio!

  41. João Paulo Balsini diz:

    Muito bom!

  42. João Gonçalves diz:

    Quando eu li a matéria da Revista Veja do Guzzo, eu me senti um lixo. Sempre me soou estranho e frustrante ver que pessoas como ele, mesmo sendo esses seres humanos nojentos que são, ainda conseguem ter alguma influência sobre mim. Eu não consegui responder (a mim mesmo) essa contradição, mas depois de ler (e chorar com) a resposta do Jean Wyllys, essa minha dúvida simplesmente esfumaçou-se. Obrigado, Jean Wyllys! Veja que lixo!

  43. Lucimara diz:

    Parabéns Deputado, és exemplo de dignidade, transparência e fidelidade a causa GLBT. Lamentável a matéria publicada por tal distinto senhor, que de nada vêm a agregar de útil aos meios de comunicação. Demonstra fielmente quão repugnante é o preconceito intrínseco por senhores/as que se espelham em tamanha falta de bom senso e caráter.
    Parabéns deputado Jean Wyllys por não se calar e nos presentear com sua batalha pela baixa ao preconceito. infelizmente ainda é impossível declarar que estamos perto do fim do preconceito, do racismo e da ignorância. Mas é uma honra termos pessoa com tal competência e determinação nos representando. Obrigada!

  44. João Quinto diz:

    Jean, eu acho que a Veja já não goza de muita credibilidade ou prestígio nos círculos mais esclarecidos. E será uma tendência natural. Por outro lado, tendência também natural das coisas, é que todos sejam tratados igualmente independente das suas convicções sexuais, religiosas, entre outros. Ainda que alguns sempre se oponham, a tendência natural termina por prevalecer. Felizmente não tive o desprazer de ler a coluna supracitada no seu texto. Abraço.

  45. CECILIA THOMPSON GUARNIERI diz:

    Caro Sr. Jean Willys: “EXCELÊNCIA” aqui não é titulo que o senhor merece – é o adjetivo que define sua posição e seu texto – magnífico, claro, exato. Sugiro que o sr. exija sua publicação na revista que publicou o infeliz comentário do sr. Guzzo, “no mesmo espaço e com igual destaque”, como quer a Lei de Imprensa (que já existe, e é muito boa). Nada mais digo, porque o senhor disse tudo. Um texto que ficará na História certamente. Passei-o para meus filhos e netos (23 e 14 anos, os netos), que se comoveram e aplaudiram. Que pena que eu não vote no Rio, para reelegê-lo quantas vezes seja preciso. Mas minha neta e eu já votamos no senhor (positivamente) em outra instãncia… Risos e beijos, Cecilia

  46. Renato A S Gomes diz:

    Não li o artigo em questão, e nem me interessa pelo baixo nível de informação que os curtos trechos aqui expostos exprimem. Todavia, preciso manifestar a minha mais total alegria em ver com que lucidez, firmeza de caráter e integridade, o Sr. Jean Wyllys respondeu! É de mais pessoas assim que precisamos no congresso nacional!

  47. Wagner Eduardo Coelho diz:

    Brilhante, seu artigo. Já o deste senhor, simplesmente repulsivo e de um mau carater inaceitável!

  48. luiz lima diz:

    BELÍSSIMO TEXTO. Li vibrando do começo ao fim. Pena que nem todos os ignorantes, os imbecis, os de má fé tenham a capacidade de entedendê-lo em sua plenitude.

  49. Roberto diz:

    Jean, vc é perfeito. Seu texto claro, límpido, de leitura agradável e de teor impecável e digno! Parabéns!

  50. Icaro Dacttes diz:

    Palmas, tudo muito bem colocado.

  51. Daniel Oliveira diz:

    Sem palavras para tamanha coerência de palavras. A cada artigo, escritura ou palavra sua, fico ainda mais admirado e mais fã do seu trabalho e sua inteligência. Parabenizar é pouco…

  52. Franco diz:

    Parabéns pelo excelente texto, Deputado. Irei divulgá-lo.

  53. Alberto Miranda diz:

    Caro Deputado,

    Já o admirava pela sua postura como representante político e agora, com esse artigo, minha admiração só fez aumentar. Bem escrito e com argumentos poderosos. Compartilharei, com certeza. Grande abraço e continue firme e forte na luta pelos brasileiros e brasileiras que merecem ter os seus direitos respeitados, sem que a orientação sexual, opção religiosa, cor da pele, classe social, enfim, nada disso seja usado como justificativa para não conceber a esses os direitos que pertencem a todos/as e estão resguardados pela nossa Constituição Federal….Ah, e me permita uma ousadia, já que sou baiano, meu caro deputado: Você brocou, velho!!!!

  54. João Marcos Cavalcanti diz:

    Parabéns pela resposta. Esta semana iria renovar minha assinatura da Veja, mas, lixo eu não gosto de ler. Obrigado.

  55. Alexandre diz:

    Parabéns, muito bem escrito !!!

  56. Flávio diz:

    Caro deputado:
    Não sou gay, não voto no Rio e não assisto Big Brother, mas devo dizer que sua atuação no Congresso dignifica a classe política brasileira. Parabéns pelos posicionamentos e pela sua atuação política. Sucesso, precisamos de mais deputados como o senhor.

  57. Daniela Beleze Karasawa diz:

    Simplesmente perfeito, Jean. Disse tudo e mais um pouco com ousadia e classe. Parabéns!

  58. Daiana Pereira diz:

    Viva muiiiiiiiito o deputado Jean Wyllys q mais uma vez se posiciona de forma lúcida e esclarecedora p lutar pela igualdade de direitos e por uma sociedade sem hipocrisias!!

  59. Carol diz:

    Maravilhoso!
    Parabéns, Deputado!

  60. Adelita Elias da Silva Vaz diz:

    Parabenizo por esta resposta, por tantas outras pérolas que esta inteligência fantástica, nos brinda. És uma pessoa muito digna , merecedor de todo respeito assim como todos os seres que habita este planeta. Respeitar as diferenças é a dica para estes intransigentes irresponsáveis, que se acham no direito de ofender, sendo que ocupam posições que teriam a obrigação moral, de defender. Por isso a sua inteligência e dignidade,nos ampara e nos defende diante dessa ignorância nefasta . Agradeço a oportunidade. Adelita

  61. Bruna Guerreiro diz:

    Que texto primoroso, Jean! Só me faz admirar você ainda mais. É realmente de dar medo que uma revista com essa projeção se disponha a veicular ideias tão nojentas, é assustador! Palmas pra você. ;P

  62. Cristiano Teixeira diz:

    Muito boas suas contra-argumentações. Gosto muito da sua redação, simples, direta, objetiva e clara. Nada de embromação. Se todos os políticos fossem assim…

  63. Felipe Uchida diz:

    Excelente, Jean! Me assusta como estes últimos tempos têm sido da institucionalização da estupidez disfarçada de prolixidade e do ódio disfarçado de força de expressão. Sou hétero mas nunca entendi e nunca entenderei visões debiloides de mundo como a exposta publicamente pelo Sr. Guzzo e pela porca publicação que o endossa e financia. Hoje brindarei pela tua coerência e moral.

  64. Mariana Alves diz:

    Obrigada por controlar o asco e publicar esse ótimo texto!

    Continuo a pensar que prefiro as cabras do que os jornalistas da Veja (até para um relacionamento!).

    Essa infeliz revista cuja função nada mais é do que promover a (des)informação, a intolerância, e reproduzir um discurso preconceituoso, limitado e vazio.

  65. Inahiá Castro diz:

    Jean,
    Parabéns pelo seu texto, tão eloquente e apropriado. Uma resposta mais do que merecida a este artigo vergonhoso que a veja publicou.
    Você é o exemplo de político e cidadão que o Brasil precisa.
    Abraços

  66. Jéssica diz:

    Que texto maravilhoso!!!!!!!!!
    Parabéns pelas palavras, senhor deputado.

  67. Luiz Fernando Cardoso diz:

    Parabéns, nobre deputado. Há anos não lia um artigo de tamanha lisura, sinceridade e tão válida na capacidade de fazer refletir. Como jornalista, penso que Guzzo “pisou na bola” e que deve desculpas a uma boa parcela dos leitores da revista Veja. Ou seria a revista assinada e lida apenas por “heteros”, cristãos, brancos?

  68. elisabeth salazar martins diz:

    Não havia sequer compartilhado o jornalista da Veja porque o achei imbecil, sem argumentos plausíveis e como não venho de família preconceituosa , racista desde cedo aprendi a igualdade. Tenho amigos (as) homos, ´héteros negros, brancos índios e velhos, sim, há preconceito muito forte porque tendo sessenta anos conheço e sou amiga de muitos jovens. Respondo ao Jean porque o acompanho desde o seu início de vida pública, para nós e o admiro pela inteligência, sensatez. Obrigada por me dar um espaço para resposta e ainda muito mais teria a dizer .Grata]
    [

  69. Laís diz:

    Bravo!!!
    Você conseguiu traduzir em palavras tudo o que eu e outros milhões de brasileiros pensamos a respeito desse absurdo que foi escrito por Guzzo.
    No momento em que li o artigo, fiquei boquiaberta com tanta asneira, argumentava com a revista, incrédula do que estava lendo.
    Hoje, ao ler a sua “resposta” fico com o coração mais leve. Obrigada.

  70. Cristiane Chevriet diz:

    Estou estarrecida, você fez bem em responder…discordo apenas que este jornalista tenha agido de má fé, no sentido de ter usado a inteligencia para criar tamanha ignorância. Pelos argumentos dele, percebemos uma pessoa de fato mediocre, apesar da formação intelectual, e bem se vê totalmente mal resolvida, recalcada e diria um homem tambem misógino!!! Não deveriamos nem mesmo usar estas definições hetero, gay, bi, este tipo de coisa deveria passar ao largo, de modo que fosse somente mais um detalhe da vida de cada um, natural, espontaneo e uma decisão íntima, a passar despercebido, beijos!!! A quem importa tudo isso? A ignorância é uma coisa muito triste, é uma escuridão emocional, que formação alguma dá conta!!!Beijos, Beijos!

  71. Ma diz:

    Parabéns pelo texto esclarecedor e objetivo!

  72. Delaine diz:

    Arrasou! Como sempre…

  73. valkiria hochheim diz:

    Fantástico texto. Muito obrigada por nos representar tão bem. Sua existência politica renova minha “fé” na humanidade!

  74. Geraldo diz:

    Boa!

    Dá raiva ver esses imbecis escondendo seus preconceitos atrás da “lei”.
    É o mesmo pessoal que, se um dia fosse proibido usar camiseta vermelha numa segunda-feira, ia falar para os filhos ao ver alguém nessa condição: “Olha um bandido! Nunca seja assim!”

    Abraço!

    Geraldo

  75. eloise diz:

    Parabéns Deputado. Não fique calado. A sociedade precisa de pessoas de bem com voz ativa.

  76. Walter Araujjo diz:

    Publicarem um texto sem analisar o conteúdo é lamentável para uma revista que se diz informativa e séria…..Concordo com você Jean….”VEJA QUE LIXO”

  77. Eder Benevides diz:

    Grande Jean Wyllys. Sempre brilhante. O admiro imensamente! Estive em sua palestra na Conferencia de Direitos Humanos da OAB esse ano e minha admiração só cresceu! Que bom que temos um homem inteligente e obstinado como você em nosso parlamento!

  78. Larissa diz:

    Parabéns por,mais uma vez,defender tão brilhantemente a comunidade LGBT!

  79. Leandro diz:

    Tudo bem que “leu na Veja, o problema é seu”, mas enquanto permitimos que este jornaleco de quinta profane insanidades a grande parte ignorante da população brasileira, que o usa como instrumento de INFORMAÇÃO, aí é quando temos que reagir né. Chega, VEJA, seus dias estão contados!

  80. Pamela diz:

    Você me surpreende cada dia mais!
    Por mais pensante que eu tente ser, as vezes o preconceito está dentro de nós, e o fato de você ser um ‘ex-bbb’ me fazia ter uma visão muito errada da sua pessoa.

    Parabéns!

  81. Clarice diz:

    Nem sabia que esse lixo de publicação da Abril ainda era lido…

    E o Guzzo?
    A andropausa chega para todos. Alguns sabem administrar,outros são acometidos da síndrome do rancor e da frustração.

  82. luiz henrique diz:

    jean , querido
    texto brilhante!
    eu como pessoa publica decidi boicotar a revista veja mas acho que deviamos fazer uma manifestacao publica de repudio a revista
    coloquei um post no meu facebook que esta cheio de pessoas dispostas e indignadas como eu
    um beijo enorme
    luiz henrique

  83. Eduardo diz:

    Parabens pelo excelente texto deputado.
    Infelizmente a grande massa considera a revista Veja, uma fonte confiavel de informacao e noticia.
    Deprimente um meio de comunicaçao propagar idéias arcaicas e erradas sobre orientação sexual das pessoas.

  84. Amanda Murgo diz:

    Querido Jean,

    É um orgulho, em tempos tão desacreditados, ter um cidadão tão maravilhoso e pleno das melhores qualidades como nosso representante.
    Em minha opinião, se fossem apenas 10 homossexuais mortos no Brasil em um ano apenas, por motivos torpes como o desrespeito e a violência contra o homossexual, já seria alarmante. Se fosse apenas 1, ainda assim, seria absurdo!! Obrigada por nos reavivar a esperança, e por hastear uma bandeira de intelectualidade (tão admirável quanto a sua) aliada a humanidade. Sua causa, como a minha, é a do ser humano, em suas facetas plurais, o que não é um problema, muito pelo contrário, é pela pluralidade que se enriquece a visão do todo!
    Um abraço, com muita admiração!
    Amanda Murgo

  85. Andre Ribeiro diz:

    Boa tarde deputado,

    Aproveito o artigo (muito bem escrito), para parabeniza-lo pela vitória adquirida e agradece-lo por toda luta em prol do coletivo que venho acompanhando em sua trajetória.

    É de gente inteligente e bem intencionada (no poder), que esse nosso país precisa.

    Teve o meu voto, e acredito que dessa vez foi a primeira em 35 anos que posso me orgulhar de te-lo feito eleito.

    No artigo, sábias palavras, como sempre muito sensato e defensor do que é correto.

    Parabéns e conte comigo sempre!

    Andre Ribeiro

    Produtor musical, Remixer e DJ de São Paulo

  86. PRISCILLA SIPAÚBA PEREIRA diz:

    Gostaria de fazer parte do movimento LGBT, como faço?
    Um abraço!

  87. Noelia Alves Pessoa diz:

    Você é minha referência.Foi a única vez em que consegui assistir a um BB. Você e toda a sua dignidade, para mim sempre foram a prova viva de que ser gay, o nome que se queira usar, não é um problema maior do que ser “velha” como eu, ou do que ser “mulher” como já foi no passado, ou ser “negro” como ainda é até hoje. Sou velha, considerada “branca” namoro um negro encantador de 76 anos mas me recuso a chama-lo de afro descendente. Não vejo nada demais em dizer que ele é negro, ou que alguém é branco ou índio. Você é a prova viva de tudo que um homem, uma mulher, um gay pode ser, o que na verdade, depende só da força interior de cada um. Por isso mesmo, li e reli o artigo da veja, e por incrível que pareça não consegui ver ali, nada de ofensivo diretamente ligado aos gays. Concordo com a ideia de que é bem possível, que os próprios gays, de certa forma estão quase que criando, quase que forçando uma “diferenciação”. Pense nisso Willy. É aí que mora o perigo.Sou de Salvador e tenho 74 anos.

  88. Renan diz:

    nossa! que texto forte, que resposta mais incisiva e serena também. acho que voltei a sentir (rapidamente, graças a deus) alguma esperança que eu perdi ontem lendo aquele panfleto sangrento. o que me preocupa não é nem o posicionamento do cara em si, mas o modo como um texto como aquele possa servir de documento que respalda a homofobia e o “movimento homofófico”. prefiro acreditar que manifestações como aquelas são movimentos reativos a tudo o que os gays vêm conquistando nesses tempos. e se por um lado isso assusta, por outro também é bom poder apontar onde a homofobia acontece, onde ela pode/deve ser combatida e eliminada.

    então é por isso e por outras coisas que eu acho que essa reportagem deve, sim, ser absolutamente execrada e que esse guzzo tem que ser processado. e não vejo outra solução pra revista veja a não ser uma fogueira e ela queimando dentro.

    abraço.

  89. Victor Nascimento diz:

    Martin Luther King Jr. disse algo parecido com “A lei não pode obrigar ninguém a me amar, mas previnir de me espancarem já é bom o suficiente”

  90. Caio Torres diz:

    Parabéns, Jean!
    É doloroso ver que isolados somos nada. Dói se sentir só e sem força pra mudar o modo como a sociedade age e protege esse tipo de hipocrisia. Mas em contrapartida, me conforta saber que temos alguém que pode falar e defender todos nós. Hoje você pode não atingir os 8 milhões de leitores que a Veja atinge, mas você atingirá aqueles que procuram uma luz de esperança e justiça de um país melhor. E por isso, lhe agradeço!

  91. ericss diz:

    sensacional…rebateu cada “argumento” idiota com classe e coerencia…não sou gay,mas respeito a causa e acredito que com pessoas como o senhor no “front” , vitórias são iminentes …parabéns

  92. jorge gabriel diz:

    senhor deputado jean wyllys…acredito e presto atençao em tudo q diz, votei e voto no senhor qtas vezes for preciso,e obrigado por ta ai nao so nos representando com tanta maestria,infelismente o mundo ta cheio de machos…mas homens como o senhor sao poucos…grande abraço. Jorge Gabriel

  93. Tatiana diz:

    Deputado,

    excelente resposta! O texto de Veja é antiético, desprezível e absurdo. Parabéns por sua atuação!

  94. Ricardo Berbetz diz:

    Que texto fabuloso. É uma resposta à altura daquilo que toda a comunidade gostaria de dizer.

  95. Jordana Vieira diz:

    Impecável seu texto! Concordo em gênero, número e grau! Parabéns!

  96. Edgar Tarozo diz:

    Adorei a matéria, tão clara, informativa, discreta e muito inteligente. Parabéns Jean!!!

  97. Daisy Vitoria diz:

    Jean
    Você disse por mim tudo o que eu queria dizer.
    Me emociona poder contar com as suas palavras no momento oportuno.
    Amo vc e sua dedicação
    Bjjsss
    Day

  98. Paulo Oliveira diz:

    Atitudes como a desse jornalista caberia processo caso a lei que torna a discriminação um crime! Então vamos nos movimentar para cobrar dos nossos representantes políticos essa alteração no código penal! Eu mesmo gostaria de ser mais ativo, participando de palestras, debates e mesmo eventos culturais!
    Obrigado, Jean, mais uma vez!

  99. @arturluizbr diz:

    Resposta simplesmente perfeita.

    Guzzo usou de omissões de informações para ter argumentos para si mesmo e de comparações pobres de ofensivas para com pessoas melhores do que ele.

  100. Ale Sant diz:

    Somente li esse texto na Internet devido à repercussão negativa, pois essa revista não merece ser folheada nem na sala de espera de consultórios (melhor as revistas de famosos que, apesar da qualidade ruim, fazem-me rir com a exposição sem noção).

    Essa matéria-garrancho demonstra um ser submerso em preconceitos e com capacidade para elaborar comparações sombrias e primárias. Esse senhor obtuso tem uma concepção tenebrosa em relação a casamento (sobrou até p/ casais héteros): “Mas sua ligação não é um casamento – não gera filhos, nem uma família, nem laços de parentesco.” Desde quando uma família somente é formada a partir do nascimento de filhos? Nem quero imaginar o que pensa de solteiros, sobretudo solteiras.

    Além disso, faz essa alusão horrorosa sobre a cabra, uma sugestão de zoofilia como algo banal e em tom debochado. Isso não deveria ser mencionado com zombaria, trata-se de crueldade em relação a animais que, infelizmente, é praticada.

    Bem, se o obtuso colunista somente considera casamento a união entre héteros e com procriação, então o Charles Manson deve ser um excelente exemplo, afinal teve esposas e gerou filhos.

  101. Dalva Nester diz:

    Show Sr. Deputado Jean! Que texto esplêndido! Que resposta que eu mesma gostaria de ter dado a esse ser manipulado e pobre de espírito! Esclareço que sou heterosexual, mas tenho profundo respeito por todo o ser humano que se faz respeitar.
    Ao Sr. Deputado, meus sinceros respeitos e admiração.
    Ao ser, ex-diretor de redação(!) da Veja, meu desprezo! Afinal, como ele mesmo diz, não sou obrigada a gostar dele.

  102. Áurea Maíra Costa diz:

    Parabéns pelo texto, Jean!
    Eu como jornalista me sinto orgulhosa de ter um colega de profissão como você. E mais orgulhosa ainda me sinto enquanto cidadã, por ter em nosso país um político honesto, um deputado coerente em sua trajetória, um homem esclarecido e inteligente, que consegue emitir sua opinião sem discriminar ninguém!
    Você é um exemplo e sua luta é muito justa e necessária! Os movimentos que combatem todo e qualquer preconceito têm meu total apoio! Parabéns, mais uma vez! Você é ótimo!

  103. Nina Pimenta diz:

    Parabéns por expressar tao bem sua opinião!

  104. Julie Souza diz:

    Bravíssimo!!!!
    Texto de resposta esplendoroso!
    Um dia a “sociedade” acorda pra vida, e vê que não existe o certo e o errado, e aprenderão que o certo é ser feliz!

  105. Marcio diz:

    Bravo! Só palmas a vc Jean!

    As vezes acho q não vivo com pessoas pensantes!
    Mas, infelizmente isso é “só” reflexo da falta de educação de nossa população. Ai sobram instituições “bem intencionadas” a dar direcionamento distorcido aos que mal sabem ler.

  106. Otávio Alban diz:

    A melhor forma de protesto é deixar de comprar toda e qualquer publicação da editora Abril. A mencionada editora já está mal das pernas financeiramente há tempos e não faltam publicações da concorrência sobre qualquer assunto.

  107. Fernanda diz:

    Precisamos de mais JEANs no planeta.

  108. Maurício Dias diz:

    Obrigado Jean. Pena essa situação não te explodido na mídia. E pena também os leitores dessa revista não perceberem a lavagem cerebral causada por lerem .

  109. Ricardo diz:

    Cara, nem parece que tu saiu do BBB. Dá gosto ler um texto de alguém tão intelectual e que sabe SIM, sobre o que está falando! Parabéns!

  110. Ludimila Vieira diz:

    Eu, como heterossexual, cidadã e ser humano pensante e consciente, agradeço as palavras. Para uma asneira imensamente publicizada, uma resposta digna e esclarecedora. Que seu saber permeie várias outras mentes, Jean.

  111. Jaci Lima diz:

    Jean

    Eu o admiro muito pela sua transparência, sua humildade e sobre tudo por sua sabedoria.
    Você quebrou todos os tabus, mostrando para a sociedade que nem todos que vão para estes reality show são alienados e globalizados.
    Nunca fui de tietar, mas a você me curvo e faço referência!
    Um abraço
    Jaci Lima
    Assessora Parlamentar
    Gab. Deputado Paulo Rubem Santiago

  112. Leonardo Fava diz:

    Confesso que não li o texto do caro e infeliz colega José Guzzo, mas pelo rebate do seu texto, confesso que fiquei enojado e indignado com tamanha estupidez proposital. Imprimi o seu texto-resposta e vou ler em casa para o meu marido. Obrigado pela sua luta Jean!

  113. Daniel diz:

    Que alívio para nós existir alguém com discernimento e voz como você, Jean. Terá sempre meu voto!

  114. Dhiego Recoba diz:

    Nobre deputado, parabéns pela maestria e clareza com a qual escreveu este artigo. Sou heterossexual e a favor da extensão dos direitos civis para todos, e enquanto indivíduo me sinto ofendido com matérias como esta da revista Veja, que há tempos agride a todos que não cabem no seu conceito de “cidadão de bem”. Logo, aproveito a oportunidade para lhe fazer um apelo: junte-se aos demais parlamentares que fazem oposição e investigam os métodos espúrios desta revista de quinta categoria, que cultiva uma consciência fascista na mentalidade de seus leitores. Isto é um apelo, caro deputado. Veja, PIG e assemelhados já passaram dos limites do aceitável em uma democracia. Estamos no rumo do precipício, caso uma regulamentação dos meios de comunicação não se concretizar com urgência. Aguardo seu posicionamento. Parabéns pela rica legislatura que tens desenvolvido.
    Cordial Abraço,

    Dhiego Recoba
    Porto Alegre/RS

  115. Toquinho Fraga diz:

    Caro deputado,
    Não seria possível a publicação de um direito de resposta nesta M… de revista.
    Ao menos serviria para ocupar espaço com algo útil.Responder em outros espaços é só o que espera esta gente, acobertadas suas prepotência e ignorância pelo poder de desinformar.Buscar um direito de resposta seria a maneira de tentar reverter as consequências e a repercussão de toda esta lama (para não dizer outra coisa)jogada de maneira tão explícita para a sociedade por este mal-intencionado dissimulado em idiota.

  116. Margot diz:

    Simplesmente espetacular!!! Não tenho palavras para definir a clareza de pensamento e a honestidade pessoal do Jean.
    Resposta mais do que justa e de direito. Foi uma defesa da classe GLBT, raça negra, classe feminina, judeus, muçulmanos, cristãos e qualquer uma outra diversidade que não seja a que pertence o Sr Guzzo e seu grupo de simpatizantes.
    Estupendo! Gracias Jean, gracias.

  117. Luiz Carlos diz:

    Parabéns, tanto pela qualidade da resposta, como pela coragem e disposição para responder com vigor a mais uma abominação publicada na Veja. Aliás, como um meio de comunicação tão importante pode involuir tanto? Anos atrás me permitia comprar a revista, pois, apesar de parcialidades aqui e ali (qual meio de comunicação não as tem, infelizmente), era longe de ser esse instrumento direcionado para determinadas “causas”, como é hoje. Não se trata mais de jornalismo, mas antes de “folhetim ideológico”.
    Não sou homossexual, mas me ofendo e me indigno com qualquer manifestação de intolerância.
    Não se abale, e continue com seu trabalho, deputado.
    Abraços de SP

  118. LEANDRO CABRAL diz:

    Meus parabéns pelo texto que expressa exatamente o que estou sentindo.

  119. Fátima M. diz:

    Parabéns pela coerência!

  120. Christiany diz:

    Deputado Jean, cada dia que passa tenho mais admiração pela sua pessoa. Sou mãe e tenho uma filha com deficiência auditiva, sei bem como é viver em um país preconceituoso e cheio de gente hipocrita. Abaixo a qualquer tipo de preconceito…até quando teremos que conviver com isso? Temos sim que dominar nossos ascos,e colocar pra fora o que pensamos dessa gente imbecil! Parabéns, estamos precisando de mais pessoas inteligentes como você para liderar nosso BRASIL.

  121. masori diz:

    lavou a minha alma Jean! Votei em você e continuo contigo… Saudações Cordiais Masori

  122. carmen diz:

    Perfeito texto. Coloca o pseudo jornalista da “veja” no devido lugar, no lixo.

  123. Cida Freitas Barbosa diz:

    Tudo que vem de voce to sempre ligada!te admiro demais,sua inteligencia é o que mais me fascina…amo esse sorriso,essa risada gostosa que voce tem!!
    Um dia ainda quero te dar o meu colinho!
    Beijooo e continue na luta,tamo aqui te acompanhando em tudo.

  124. Rodrigo Souza Walmeling diz:

    Sensacional…
    Parabéns!

  125. Marcos Brgona diz:

    Parabéns pelo brilhante texto, Jean!

  126. nilricci diz:

    Luxo, fez jus ao prêmio recebido de melhor deputado. A matéria tem que ser publicada na mesma coluna da revista. JUSTIÇA.

  127. ana maria bulhoes pedreira diz:

    Perfeito o seu texto. Parabens!!!!!
    Vou cancelar minha assinatura da Veja, nao dah para receber este lixo em casa.

  128. silvio muniz diz:

    Jean, parabéns, muito bem escrito… Fiquei realmente encantado.

    Um abraço

  129. Andrea diz:

    Resposta perfeita, deputado. Apenas gostaria de acrescentar que a luta pelo casamento civil igualitário é de bissexuais também. Afinal, não deixamos de se-lo por estarmos em um relacionamento com uma pessoa do mesmo gênero.

  130. Clara Angélica diz:

    Quem dera se esse Sr. Guzzo gozasse (eita) de 1 por cento de sua lucidez. Sei que seu trabalho eh pelo Brasil, mas infelizmente o sistema eleitoral não permite que elejamos como nossos, deputados que se candidatam por Estados que não o que votamos. Pernambuco teria do que se orgulhar. Beijos carinhosos.

  131. Giselle diz:

    Que texto fantástico.
    Realmente, veja que lixo.

  132. Nonato Rodrigues diz:

    Parabéns Deputado !! A bandeira da sua luta é uma bandeira pelo humanismo e não em defesa de uma minoria específica. São legados como o seu que deixarão referências para as gerações futuras. Admiro seu trabalho e sua inteligente coragem.

  133. Suely Oliveira diz:

    Jean, ainda bem que temos você! Texto maravilhoso! Obrigada, meu lindo!

  134. Humberto diz:

    Nossa cara… Muito bom mesmo. Foi dito tudo de maneira tão detalhada e simples… Todo esse texto que se faz de senso comum preconceituoso / sonso foi detalhadamente desmascarado, analisado e exposto…
    Exposto de uma forma que eu não consigo nem imaginar o sr. Guzzo tentando se defender sem afundar mais do que já está.

  135. Fernando diz:

    Como é bom alguém inteligente que escreva em contraposição a alguém imbecil que acha que escreve…uma pena, que uma revista dê voz a um completo “espinafre”!!!!!

  136. Rafael Oliveira diz:

    Jean, você está certo: quanto mais falamos desse calhorda, mais acabamos divulgando suas ideias imbecis. Mas, tenho que reconhecer que ele mereceu um tapa cheio de argumentos como os que você escreveu.

    Gostaria muito de ver algo do gênero na seção de cartas da Veja da semana que vem. Mas não tô afim de jogar dinheiro fora comprando mais esta revista.

  137. Rafael dos Anjos diz:

    Parabéns Jean! Compartilho do seu pensamento e de suas ideias. Fico feliz em saber que há um representante da COMUNIDADE LGBT em Brasília! Abs!

  138. cristiane diz:

    Jean, sou simpatizante dos gays, dos heteros, dos inteligentes, dos criativos, dos engraçados, dos divertidos…não nutro nenhuma simpatia pela burrice, pela idiotice, pela tentativa de manipulação, de cerceamento da liberdade em todos os sentidos. Que bom que escreveu. Obrigada.

  139. Lucielí Holmos diz:

    Suas considerações a respeito da matéria foram muito claras e verdadeiras, não se pode deixar quem quer que seja escrever ou falar com este preconceito imoral, e ainda influenciando pessoas que não param pra pensar que somos todos iguais e temos os direitos afirmado por lei.PARABÉNS !!!

  140. Camila diz:

    Brilhante como sempre! Parabéns!

  141. Nátaly Dauer diz:

    Sem palavras. Jean Wyllys foi perfeito em cada argumentação. Parabéns!

  142. Cris Bitt diz:

    Orgulho de ter votado em você meu amigo!!!

  143. Merielen Sabaini diz:

    Jean, você é uma pessoa iluminada! Continue fazendo este trabalho lindo que fazes… Abraços!

  144. Daniel Sanches diz:

    Parabéns pelo texto e pelo prêmio no Congresso.

  145. Vinicius diz:

    É assim que se crítica um texto de imprensa, Deputado. Perfeito! Mesmo lendo a Veja esporadicamente (não li o texto ao qual se refere), a revista comete constantes deslizes gratuitos que tiram sua credibilidade em diversos assuntos, mas basicamente política e comportamento. Geralmente quando se critica qualquer mídia surge o assunto de que é preciso ter controle sobre a mesma, e que constantemente existem interesses envolvidos. É verdade que existem interesses, mas impedir ou “orientar” publicações é um absurdo, da mesma forma que “orientar” a sexualidade de alguém. Vou procurar ler o texto pra ratificar suas posições, talvez acrescentar alguma opinião minha enquanto divulgo seu texto. Novamente, parabéns!

  146. Lucas diz:

    Excelente texto. Foi realmente difícil conter a raiva ao ler a coluna desse sujeito. Precisamos SIM responder às calamidades proferidas por Guzzo e sua revista reacionária, pois infelizmente o número de pessoas que atingem é imenso.

  147. Ryan diz:

    Nossa… que texto fantástico!Realmente, não podemos achar que os argumentos desse colunista da Veja são devidos apenas à ignorância dele. Por trás deste discurso há o objetivo de agradar uma parcela da população (preconceituosa, conservadora e religiosamente radical). Ora, para essa opinião ser publicada, ela passou por um editor e foi aprovada pela revista. Isso não é por acaso!

  148. Marcelo Brandão diz:

    Jean, meus parabens pela resposta bem formulada, não só ao colunista José Roberto Guzzo, mas também a Revista Veja.

  149. Alice Viveiros de Castro diz:

    Deputado, seu texto é perfeito! estou compartilhando direto. Que bom poder contar com tua capacidade e coragem! abraços

  150. Gustavo Sena diz:

    Deputado Jean,

    Texto avassalador. Parabéns!

  151. Cynthia diz:

    Parabéns! Só tenho isso para dizer! Adorei o que li!

  152. Valéria J. da Silva diz:

    Congratulações pela sua postura!

  153. jaciane ferreira da silva diz:

    é inacreditável o que ainda lemos e ouvimos em pleno século XXI, a intolerância e o preconceito de certas pessoas são repugnantes, quando vamos aprender que somos todos seres humanos, porém com particularidades e vamos amar e respeitar o próximo, sem levar em conta a sua sexualidade, raça, religião. opinião cada um pode ter a sua, mas respeito é para todos. sinto muito orgulho de saber que no congresso nacional, temos um deputado tão digno, continue nos representando, não se cale, mesmo quando o que for dito lhe cause asco, pois sua voz é a voz dos que são descriminados e injustiçados, dos que não podem responder á altura. PARABÉNS DEPUTADO JEAN WYLLYS, EM NOME DE TODOS OS INJUSTIÇADOS E SEM VOZ DESSE PAÍS!

  154. Antônio Jorge Silveira Tabireza diz:

    Jean, sou de Dias Dávila (ali, pertinho de Alagoinhas)… Saudade de lá. Atualmente moro em SP, lutando pra vencer… Eu sempre fui gay mas não tinha coragem de me jogar no meu instinto. Sempre fui e sempre serei masculino, mas tinha medo de “me queimar” em passeatas, mostras LGBT, eventos GLS e tudo que envolvesse a diversidade. O máximo que eu fazia era dar uma voltinha no B.A. No Cpo Grande ou aqui na Vieira… Depois que li o lixo, e vi sua resposta, perdi a vergonha e hj defendo a causa mostrando o meu rosto… Pensava que uma pessoa letrada, estudada como o Guzzo nunca seria capaz de fazer isso.. Mas ele fez! e hj reconheço que (felizmente ainda voto na Bahia), mas se vc fosse candidato lá, eu votaria em vc. Obrigado por me fazer deixar de ser preconceituoso comigo mesmo!!!

  155. Celsa Salles Cunha diz:

    Assisto BBB e hoje vejo com orgulho alguns participantes,muito bem sucedidos através da oportunidade que tiveram em tão criticado programa como foi o seu caso Srº Deputado, ficaria muito frustrada se o senhor se calasse diante desse homofóbico de carteirinha, amei seus argumentos o sº sempre mostrou a que veio, adoro sua postura,delicadeza,educação,honestidade e interesse pelo que se propos a fazer o Brasil precisa de políticos sérios e Integros como o senhor e não como um LIXO DE UMA REVISTA VEJA.

  156. Paula diz:

    Obrigada Jean!!!! Sou homossexual e estava engasgada, chocada, indignada e ate me sentindo humilhada com essa reportagem….Vc lavou minha alma!!!!!!

  157. Luciana Sendyk diz:

    Não passou da hora de organizar um boicote à revista Veja?

  158. Bárbara diz:

    Perfeito! Sem mais comentários.

  159. izael R. de oliveira diz:

    incrível tamanha a lucidez do deputado Jean Willis, parabéns por sua luta e continue assim, o Brasil e a nossa política precisa de voçê.

  160. Rogerio diz:

    Muito bom texto, Jean. Nao sou homosexual, mas admiro e respeito a diversidade e apoyo a causa.
    Essa revista Veja é um atentado ao bom senco e à inteligencia.
    O texto e a última frase poderiam terminar assim: “Veja, que lixo!”.
    Abraços.

  161. Gustavo diz:

    Jean, obrigado. O seu texto me faz sentir orgulho de ser brasileiro, pois somos capazes de eleger pessoas como vc, que mostram ser possível, sim, fazer Política com p maiúsculo. Não pare, nunca desista. Tem muuuuuita gente ao seu lado. Forte abraço.

  162. Fernando Queiroz diz:

    Maravilha! Que bom existir um deputado que brada, que exerce sua função, que se indgna e que dá voz a muita gente.
    Enfim, um deputado que luta para representar as pessoas.
    Parabéns, parabéns. Tenho mesmo vontade de bater palmas.
    Sabe escrever, não é raivoso, é lúcido, sabe empregar as palavras e concatená-las de forma direta e simples, para que todos possam entender!
    Obrigado!

  163. Anderson Kister diz:

    Parabéns Jean Wyllys, Um texto provido de aplausos, Deus continue lhe abençoando sempre para venha palavras sábias,

    Abraçoos

  164. arlinda ferreira leite diz:

    Meu caro, vc está cada vez mais brilhante em suas colocações. Essa “reportagem” foi mais que agressiva, foi ofensiva, humilhante…apenas fico pensando : se ele estivesse falado de negro…talvez a repercussão tivesse sido outra… Acredito que o povo inteiro estaria escrevendo , indo a TV para rebater essa reportagem…Pena!
    Parabéns pelo seu esforço, trabalho, luta. Sou tua admiradora..de longe ( Recife)

  165. B.Cleffs diz:

    A Veja não vale a pena ser lida. Nunca valeu. É só para quem aceita mesmo ser massa de manobra. O “personagem” citado lida, na verdade, com a ignorância alienante que o veículo para o qual trabalha dissemina: o da “hegemonia-hétero-masculina-caucasiana-classe-média-direitista-extrema”. Não vale a pena perder um segundo do tempo. Basta continuar firme no propósito e seguir com seu trabalho político. Sucesso!

  166. Maria Prado de Oliveira diz:

    Caro Jean
    Você honra os seres humanos que habitam este planeta! Deus te proteja hoje e sempre! Luz e Alegrias!

  167. Ana Karla Zahran diz:

    Não li a coluna da Veja, mas adorei ler a sua. Texto impecável. Você é um Cidadão maiúsculo que pertence a outra minoria, a dos políticos que dignificam seus cargos.

  168. Helder Ferraz diz:

    Muito Bom.

  169. Santi diz:

    tem que ter sangue frio e ser muito elegante para responder com essa classe um texto tão tosco. parabéns!

  170. Clube diz:

    Primeiro a Veja fez uma capa detonando os usuários de maconha, eu fiquei quieto porque não era usuário.

    Depois a Veja fez uma matéria detonando os índios, eu fiquei quieto porque não era índio.

    Mais tarde a coluna da Veja humilhava os homossexuais, me calei porque não sou gay.

    Hoje, a Veja fez uma capa que me denigre, mas estou sozinho. Não há que fale por mim

  171. Luan R diz:

    Que bom que alguém com visibilidade deu voz ao que qualquer pessoa com um mínimo de bom senso e raciocínio lógico deve ter constatado ao ler esse texto asqueroso na Veja.

  172. leandro pinheiro deksnys diz:

    Parabéns Dep. Jean Willys!

    Não é fácil, certamente, responder a conteúdo tão baixo, apesar de veiculado na revista semanal de maior tiragem no Brasil, em tão alto nível. A Veja já perde influência entre a elite mais avançada, mas agora, parece que eles querem se restringir a um panfleto da TFP. O único lado positivo disto, é que essa publicação está selando o seu próprio fim. Afinal, pessoas com pensamento tão paquidérmico, não costumam ter qualquer hábito de leitura.

  173. Gustavo Catapani diz:

    Só não concordo com a opinião sobre o termo ‘homossexualismo’, não acho que seja pejorativo ou que faça referência à algo ‘contagioso’. E um termo qualquer, como homossexual pode ser usado de forma muito mais pejorativa do que homossexualismo. Tudo depende do contexto e do tom de voz da pessoa.
    Mas de resto, estou totalmente de acordo. E mesmo sendo hétero, sou ser humano e achei desprezível a postura da Veja e de seu colunista. Simplesmente LAMENTÁVEL.

  174. Helga Louise diz:

    Excelente texto-responta, Jean! Admiro-te vez mais! A sociedade precisa se informar mais e parar de se envenenar com desinformações em forma de revista!
    Trocadilho para o título melhor, impossível!
    “VEJA (dois-pontos) QUE LIXO!”

  175. Pedro Stoppa diz:

    Jean, você é maravilhoso…!,obrigado por responder a mais essa infâmia. Não consigo abradar a minha indignação, e nem quero, a minha gana contra os homofóbico e conservadores é um poço sem fundo.

  176. Teresa Ourivio diz:

    Caro deputado, Excelente sua matéria. Aproveito a oportunidade para dizer que você como pessoa que exerce função pública poderia ajudar a divulgar de forma séria os direitos e deveres que envolvem as reivindicações LGBT. Sabemos que não se trata apenas de poder casar, deixar herança, ou mudar de nome. A maioria das pessoas, até mesmo os que simpatizam com a causa, desconhecem os direitos que só um cônjuge tem, diferentemente de uma união estável, ou relação amigável. Divulgue e ajude a esclarecer as pessoas. vemos que esta infeliz reportagem mobilizou muita gente para o bem da causa, mas há muita confusão em torno do assunto e seria ótimo esclarecer.
    Obrigada pela matéria

  177. Georges Evangelos Loucas diz:

    Parabéns Jean!
    Sinto orgulho de ter um deputado como o senhor no nosso parlamento.
    Siga em frente, a luta não para!

  178. Luisa R diz:

    Muito bem colocado, muito bem escrito. Disse tudo o que eu queria dizer :)

  179. Raissa diz:

    Deputado, que admiração tenho por você!

  180. Clébio Oliveira diz:

    Bravo Jean! Maravilhoso!

  181. janete diz:

    Jean,
    Parabéns pelo texto. Mas venhamos e convenhamos, prá que ligar para uma revista dessa? desde a época da ditadura neste país, sabemos quem realmente são…

  182. Ramon Barros Lopes diz:

    Isso me lembra uma propaganda que utilizava como lema “onde vc esconde seu preconceito?”. É uma sociedade tão preconceituosa que não tenta sequer camuflar ou esconder seus preconceitos, muito pelo contrário grita seus preconceitos. Isso me leva a questionar duas máximas repetidas e propagada: primeira a educação não forma cidadãos muito menos forma seres humanos. O que não falta ao jornalista Guzzo é informação e com certeza educação em ótimos colégios e universidades. Segundo a equivocada interpretação do direito constitucional de livre informação. O titular desse direito não são os jornalista ou os donos das diversas mídias. Os titulares somos nós cidadãos que somos agredidos. O jornalista Guzzo não exerceu um direito e sim praticou um ato lessivo ao cidadão detentor do direito constitucional de informação.

  183. claudio motta diz:

    Parabéns pelo texto! Magistral!

  184. Edgard Oliva diz:

    Muito boa resposta Jean. Parabéns! Este Sr. Guzzo merece, realmente, uma boa lição de civilidade, pois ele não tem compostura e ética para conviver com seres humanos, cabras ou qualquer outro ser vivo. Realmente, ele merece VER-se ao lixo.

  185. Ricardo Correia diz:

    PARABÉNS!

  186. Valdir Sarmento diz:

    Tinha lido o artigo na Veja pela manhã. Agora, acabo de ler o texto de Jean, a sensação é de ter tomado um banho de cultura. Parabéns.

  187. kikamonet diz:

    Perfeito!!!

    Nada acrescentar, apenas aplaudir!

    Bjos!

  188. Natália diz:

    Caro Deputado Jean,
    me senti contemplada com seu artigo , concordo em gênero, número e grau!! Fico feliz que tenha respondido aos apelos e escrito uma resposta elegante, esclarecedora, primando pela tolerância e igualdade de direitos. Sou psicóloga e venho cuidando da população LGBTT na minha prática e testemunho (num universo micro mais rico) os sofrimentos e angústias de pessoas que por irem de encontro ao que são sofrem violências, discriminação e intolerância. Fico feliz com os avanços nas políticas públicas em todos os seus setores, mas sabemos que muito temos que avançar, mas os dados estão lançados! E vamos ainda ver um Brasil em que TODOS OS CIDADÃOS terão seus direitos garantidos. Um abraço e continue o primoroso trabalho!

  189. Lucianna Furtado diz:

    Você nem imagina o quanto me dá gosto, Jean, ver pessoas lúcidas como você. E por mais que já conheça o nível ridículo das colunas de Veja, essa ainda conseguiu me surpreender. Reinventaram o conceito de lixo jornalístico com essa coluna.

  190. Tácito Fernandes diz:

    Lê-lo sossegou-me o espírito… grato.

  191. Juliana diz:

    Ele foi infeliz em alguns exemplos, principalmente quando tratou o assunto do casamento, que eu sou a favor. No geral, acho que ele foi mal interpretado, e as pessoas tendem a misturar as opiniões, não conseguem por exemplo isolar o escritor do seu empregador, no caso a malfadada Revista Veja. Acredito que estamos indo por um caminho perigoso, onde interesses políticos são mascarados diante de assuntos polêmicos. O ponto mais interessante da matéria é quando o autor diz que não podemos jogar todos os homessexuais no mesmo bloco, afinal, além da condição sexual, são indivíduos diferentes entre si. O que não podemos fazer é uma caça às bruxas, na tentativa de tolir pensamentos. A discussão sempre será válida, desde que se tenha respeito pela opinião alheia e que se saiba separar ideias de caráter.

  192. Rafael Koehler diz:

    Jean,

    Eu, como você, não havia pensado em me manifestar, nem mesmo por rede social ou em blogs, sobre o assunto, pois não queria passar adiante tal pensamento tão equivocado. Porém, após ler o que tu escrevestes acho que fizestes uma ação maravilhosa, porque agora sim posso passar adiante uma opinião que concordo. Enviarei a todos os conhecidos o link do teu texto e agradeço por sua manifestação.

  193. Flávio diz:

    Essa Veja não serve nem pra acender churrasqueira…

  194. gerard diz:

    Gostei muito do seu texto Jean, aproveito para dizer que lhe admiro desde quando você ainda era do Big Brother.

  195. Gil Bello diz:

    Parabéns!!
    Sinto-me representado.

  196. Jefferson Dion diz:

    Parabéns pelo post Jean, me deixa mais revoltado saber que uma revista bacana como a VEJA até então, publicar ou dixarem publicar um absurdo como esse.

  197. Patricia diz:

    Eu já sabia que existia político desonesto no Brasil, mas político justo como este, não sabia!
    Fiquei orgulhosa agora…

    Parabéns e obrigada pela sua postura. Não sou gay e acho que já está na hora do Brasil ser mais justo com os gays!

  198. Andréa Barbosa Alves diz:

    Jean, concordo com a sua manifestação de indiferença inicial em não responder esse “bando” de palavras mal empregadas. No entanto, quando li sua resposta, fiquei muito aliviada, pois você simplesmente expressou tudo aquilo que eu gostaria de escrever. Suas palavras, uma a uma, foram muito bem empregadas. Como diria uma professora, todas cheias, cheias de coragem, sabedoria, ética, respeito. Tudo que precisamos ter para lutar contra a discriminação diariamente. Abraços,

    Andréa Barbosa Alves
    Serra/ES

  199. Edson Cordeiro diz:

    oi Jean! Aqui é o Edson Cordeiro.
    Daqui de Berlin vibreimde alegria e com a alma lavada com seu texto. Nada mais tenho a dizer, você disse tudo. Fico feliz como Brasileiro de saber que você esta nos representando tão bem. Um abração e muito obrigado por lavar nossas almas!

  200. Maria Antonieta Malheiros diz:

    Parabens pelo texto lucido, verdadeiro, sensacional!
    Deu uma verdadeira licao de cidadania neste Guzzo que deveria antes de continuar escrevendo procurar uma excelente analista.

  201. André diz:

    Lindo e esclarecedor, texto!

  202. Soraya R. Auad diz:

    Jean,

    Como diz minha mãe: “Tem gente p’ra tudo!”

    Parabéns pelo excelente texto, pela dignidade e honra contidos nele.

    O mundo não é divido em heteros, homos e equivalentes, o mundo está dividido entre seres humanos com direitos iguais, como iguais são suas obrigações -inclusive a do moço citado – de respeitar as pessoas não por suas preferencias sexuais, cor, credos – mas por sua humanidade.

    Pobre cabra! Que ela coma bastante espinafre para dar ao moço o que ele merece em abundância – bosta.

    Com carinho,

    Soraya R. Auad.

  203. André diz:

    Cara, parabéns pelo texto. Você é uma pessoa inteligente e racional.

  204. Luiz Miranda diz:

    Respeito é bom e todo mundo gosta. Valeu, Jean Wyllys!

  205. Danielle Moraes diz:

    Deputado, ainda bem que há pessoas que respondem desta maneira. Parabéns!

  206. sandra battaglia diz:

    VOCÊ É, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS A MELHOR PESSOA QUE SAIU DAQUELE PROGRAMINHA IMBECIL…FOI UMA JOGADA MUITO INTELIGENTE A SUA. USOU A EXPOSIÇÃO DA MÍDIA A SEU FAVOR E DE SUA CAUSA.
    NEM BONINHO (UM CALHORDA, NA MINHA OPINIÃO) FARIA MELHOR!
    PARABÉNS E CONTINUE LUTANDO SEMPRE!

  207. Mariana Folego diz:

    Deputado, meus olhos e sentidos se alegram cada vez que leio seus textos, a alegria ñ vem somente das palavras, das ideias, e daquilo que cada texto trata, mas tbm do orgulho que sinto em tê-lo nos representando. Orgulho este cada vez mais escasso: saber que existem politicos como o sr. no Brasil.

  208. Maria diz:

    Muito bem Jean! Você mostra com muita propriedade o que é o respeito pelo ser humano! Arrasou!!!

  209. Anônimo diz:

    sr. deputado, também não gostei do texto da Veja, mas o sr também está desinformado ou manipulando informações ao começar tentando desacreditar o autor e imputar a ele dolo pelo uso do termo homossexualismo, já que o mesmo foi usado corretamente dentro da lingua portuguesa, goste o sr. ou não, basta consultar os dicionários.
    http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=homossexualismo
    http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=homossexualismo
    http://www.dicio.com.br/homossexualismo/

  210. Regina diz:

    Sou sua fã de carteirinha há tempos
    (o meu post “Big Brother and same sex union reveal a tolerant Brazil” (http://deepbrazil.com/2011/05/09/big-brother-and-same-sex-partnership-reveal-a-new-country/), do começo do ano passado, é prova disso)
    Ainda demora, mas vai chegar o dia em que essa discussão se tornará obsoleta. Graças à sua ajuda, a espera será menor.

  211. Elaine Bento Barbosa diz:

    O pior de um reacionário proferir tal texto para uma resvista popular é a má fé (explicítamente intencional). Pois, ele sabe bem a dicotomia existente entre a intolerância e a luta por igualdade. E ainda, a posição que o cidação homossexual, ou bissexual almeja na sociedade.
    O que este indivíduo fomenta na realidade é o seu preconceito, a sua homofobia como alimento para os ignorantes que têm preguiça de pensar por si próprios. E uma vez, alimentados ficam impregnados de tal forma que a luz da informação não os alcança mais.

  212. Isabela Taccolini diz:

    Nossa, adorei a resposta. As vezes as pessoas mostram tal nível de estupidez que nem sei o que responder, mas você o fez muito bem e com muita classe!

  213. jaedson diz:

    PARABÉNS DEPUTADO JEAN WYLLYS. SUA POSTURA ÉTICA E CIDADÃ TORNA-SE UM EXEMPLO A SER SEGUIDO NO COMBATE À HOMOFOBIA.

  214. Líga Galvão diz:

    MA-RA-VI-LHO-SO o seu texto. Lúcido, educativo, politizado!!! Obrigada, deputado!!!

  215. Nivanio diz:

    É isso aí, Jean Wyllys!!! Vc sim é cabra macho, homem digno e que tem boas ideias na cabeça.

    Já esse Guzzo, OMG! Parece que não anda tendo muito sucesso com as mulheres… Nem com as cabras! De tanto acumulo, o esporro subiu-lhe para a cabeça e afetou-lhe a inteligência.

  216. Renata de Brito diz:

    Jean, por isso você sempre terá meu voto!

    Saiba do meu respeito e de minha admiração.

  217. Marcio Cesar diz:

    Bravo deputado!!!!
    Sei que essa revista é apelativa,não tem mais a credibilidade de antigamente, e faz tudo prá aparecer.
    Mas tambem não podemos deixar tudo de lado….
    Agradeço pela resposta, e pelo texto excelente

  218. Buca Dantas diz:

    você é um ser magistral, Jean! meus parabas. _,,,/

  219. Claudia diz:

    Eu tenho a esperança de que as pessoas não leiam mais a Veja, de que as pessoas deixem de pensar o que a mídia irresponsável e medíocre publique e não sejam megafones disso tudo.

  220. Ana Maria Lima diz:

    Parabéns! Jean pelo excelente texto.Parabéns também pelo mandato que merecidamente conquistou e exerce com dignidade.

  221. victor lopes diz:

    Sr deputado!!!

    A editora Abril situa-se as margens do rio Pinheiros que nada mais é que um corredor de detritos. Isso explica tudo.

  222. Cristina diz:

    Texto perfeito! Parabéns!

  223. maria gorete diz:

    Parabéns pelo texto!
    Eu acredito num Brasil melhor e luto por ele! E nele preconceitos de toda sorte não cabem!

  224. Eduardo Ditomaso diz:

    Deputado, embora não seja carioca (sou paulista) nem homossexual, me sinto muito bem representado. Acompanho essa discussão com interesse. O desserviço que esse Sr e essa revista prestam em pleno século XXI é muito triste. Longa vida ao seu trabalho na Câmara e que sua luta garanta, num futuro próximo, que meus direitos sejam iguais à de todos. Parabéns!

  225. Dea Miranda diz:

    Jean, parabéns! Simplesmente MARAVILHOSO!!!!

  226. Ludmila Melo diz:

    Plausíveis seu rigor, sua coragem, conhecimento e distinção intelectual, Deputado. Parabéns por atingir, de fato, o epíteto de representante legítimo dos seus.

  227. Manuela Cruz diz:

    Prezado Jean,

    Sempre lhe admirei.E seu texto só reafirma o meu sentimento.É preciso respeitar as pessoas tal qual elas são,
    independente de cor, credo ou orientação sexual.O amor verdadeiro só se expressa na liberdade.

    Abraços.

  228. Cinthia diz:

    Parabéns Jean, bom saber que temos como deputado alguém como o senhor. Texto que estremece a alma… Essa, como todas as lutas que ecoam no nosso Brasil devem ser apoiadas e engrandecidas!

  229. Laura diz:

    Aplausos! Seu texto merece ter divulgação em outros meio de comunicação!

  230. chacon diz:

    Muito bom Jean! não sei como ainda tem gente que ler esse lixo retrogrado chamado veja.

  231. Pedro Araujo diz:

    Esse texto tem que ser enviado à veja como a resposta oficial do nosso movimento em repúdio ao artigo. Pouco adianta o indivíduo X ou Y reclamar na veja. Tem que ser uma liderança conhecida como você, Jean Wyllys.
    veja@abril.com.br

  232. MIra diz:

    Jean, você é ÍMPAR e ponto final.

  233. João Bernardino Júnior diz:

    Parabéns! fiquei estupefato qdo li a coluna, leio Veja sempre e me senti traído… Sim… Veja que lixo está a revista. Novamente: Parabéns!

  234. Marya Cecília diz:

    Deputado,
    quero deixar aqui meu apoio e dizer que o senhor coloca em seu texto a vergonha de todas as pessoas que acreditam numa sociedade livre e igualitária. Seu texto tem tudo o que o da Veja (que lixo) não tem: educação, respeito e integridade com todos que estão lendo.

    Obrigada por ter atendido os desejos de quem pediu por isso de forma tão respeitosa e educada.
    Marya Cecília.

    PS: Se o deputado fosse goiano, votaria pelo senhor.

  235. Tatyany diz:

    Obrigada!

  236. Elaine diz:

    Resposta literalmente perfeita.
    Vc é show Jean! meu carinho e meu respeito.
    Veja é um Lixo e o Guzzo também #pronto

  237. Ana Ferreira diz:

    Me enche de orgulho saber que tenho como representante um político corajoso, inteligente e formador de opinião como você é.
    Me enche de esperanças ler esse texto e saber que ainda existem pessoas assim nesse país.

  238. Maury Cattermol diz:

    Muito bom, Jean!
    Orgulhoso de você!

  239. EFRAIN SORIA diz:

    HOLA JEAN, TU ARTICULO ME PARECE FANTASTICO, SUPER
    EXITOS
    EFRAIN

  240. Luza Costa Lima diz:

    Parabéns Deputado, quanta lucidez e preparo, esteja sempre assim a posto para defender os oprimidos contra todos estes reacionários.

  241. Daniela diz:

    Não sou gay, nem cabra ou espinafre mas tb me senti de alma lavada ao ler sua resposta. Cheguei a achar q poderia ser melhor o silêncio , a fim de não dar ao autor tamanha importância, mas concluo q tenha sido válida por proporcionar um mínimo de conforto a quem se sentiu aviltado nas tais ignóbeis linhas do suposto jornalista. Se o sr. é gay , nao me faz diferença. Mas o sr ser culto e ter o dom da escrita fez toda a diferença neste momento.

  242. Eduardo Carvalho diz:

    Veja, que lixo…
    fui assinante da Veja por alguns anos e cancelei minha assinatura em 2012 devido a tantas atrocidades cometidas pela revista…

  243. Jackson Cavalcanti Junior diz:

    Deputado, o senhor me orgulha. Me orgulha enquanto defensor da nossa causa contra o preconceito e a discriminação contra nós, LGBT e me orgulha também enquanto ser humano. É muito gratificante saber que somos da mesma espécie e saber ainda mais que somos LGBT e lutamos, cada qual a seu modo e na sua esfera de competência, pelo sonho de um mundo melhor, sem discriminação por orientação sexual, identidade de gênero, cor, convicção filosófica, política e religiosa. Obrigado! Parabéns!

  244. marcelo souza diz:

    “A corrida para a excelência não tem linha de chegada.” parabéns jean wyllys

  245. Sandra Mara Martins diz:

    Jean, amei! Me arrepiou!
    Não é atoa que sou sua fã de carteirinha desde o BBB, quando fiquei dividida entre você e a também maravilhosa Grazzi.
    Parabéns pela sua resposta. Vou compartilhar em minha página e distribuir a todos. Beijos!!!!

  246. luiz claudio diz:

    Parabéns Jean, suas observaçoes foram super importantes e de muita valia para vencermos preconceitos absurdos, principlamente em se tratando de um veiculo de comunicação.

  247. Ricardo Pereira diz:

    Veja É um lixo (não reciclável).

  248. Sílvio diz:

    Jean, estou aderindo ao seu brado: Veja que lixo! Decidi cancelar minha assinatura (válida até 2015) em protesto contra a homofobia tão escancarada que escorre por aquelas páginas.

  249. Bárbara diz:

    Parabéns pela integridade – moral e argumentativa. Preconceito, ignorância e desrespeito se combatem com argumentos e respeito. Força e sucesso nesta luta!

  250. maria alice diz:

    Parabéns o artigo é maravilhoso.Vou dar uma festa quando essa veja falir e a folha de São Paulo também…

  251. Flavio de Carvalho diz:

    qual doença termina com o sufixo “ismo”?
    sério, nunca consegui entender o problema de falar homossexualismo. O “ismo” não se refere nunca à doença – são pouquíssimas que usam o sufixo. segundo o houaiss, o -ismo tem a seguinte função:

    seu uso se disseminou para designar movimentos sociais, ideológicos, políticos, opinativos, religiosos e através dos nomes próprios representativos ou de nomes locativos de origem, e se chegou ao fato concreto de que potencialmente há para cada nome próprio um seu der. em -ismo

    como se vê, seu uso é muito amplo. condenar o ismo significa dizer que judaísmo é doença, que cubismo é doença, que socialismo é doença. o sufixo simplesmente dá conotação de movimento amplo ao particular.

    juro que nunca consegui entender essa reclamação. não faz o menor sentido.

  252. Laerte diz:

    O que me intriga é o porquê dessa provocação da Veja. Quer dizer, é evidente que foi publicada para acirrar os ânimos, para gerar reação – nossa e de pessoas de bom senso e sentimentos democráticos. O que a revista “ganha”, afinal? Penso em coisas pavorosas.

  253. Ana Maria Esteves diz:

    Veja: realmente um lixo!
    Ótimo texto.

  254. Marcia diz:

    O governador do São Paulo – Geraldo Alckimin – enriquece a família Civita com dinheiro público ao assinar Veja e outras públicações, e destiná-las às escolas públicas!!
    VEJA FORA DAS ESCOLAS JÁ!!ABRA O OLHO SÃO PAULO!!
    Querido Deputado Jean, que tenhas ao seu lado pessoas tão dignas e racionais qto o senhor!

  255. Fátima Tassinari diz:

    Obrgda Jean,
    Abs

  256. suely Campanha diz:

    sinto orgulho de existir brasileiros como voce. Parabéns

  257. Marcelino Peres diz:

    Caro Deputado Jean Wyllys,
    é um orgulho para o povo brasileiro saber que temos políticos honestos e dispostos a defender interesses coletivos. Parabéns pela resposta que jamais dá voz aos imbecis, e sim cala-os.
    Um abraço!

  258. Ana Guedes diz:

    Excelente, Jean. Parabéns e obrigada!

  259. Danielly diz:

    Texto muito bem escrito, Jean parabéns!
    Veja lixo total!

  260. Gleide lima diz:

    Jean Parabéns pelo conteúdo do seu texto ao Sr. José Roberto Guzzo. E a Revista Veja.
    Repúdio total!

  261. marcio motta diz:

    Jean, vc é maravilhoso! Deu tapa com luva de pelica, com total postura e educação. Soube deixar claro o quão infantilóide o colunista grotesco da VEJA foi.
    PARABÉNS! Cada dia mais orgulho de ter votado em vc.

  262. Eduardo Lucas diz:

    Parabéns, você foi perfeito na análise e na desconstrução desse discurso “nazista” que essa tal “revista” insiste em abrigar. Só discordo que seja lixo, pois este pode ser reciclado. Nem mesmo excremento é, pois este vira adubo. Na verdade, esse e outros textos dessa “revista” são apenas um NADA, um vácuo de bom senso e de inteligência, sofismas ideológicos asquerosos, doentios e anacrônicos.

  263. José Solon diz:

    Parabéns por ter escrito, Jean, mas a Veja e o José Roberto Guzzo não merecem que utilizemos nosso raciocínio, nossas conexões neuronais com “eles”, pois são apenas amebas. Amebas e ratos. São parasitas, sendo que as amebas, quantos neurônios têm? É bom nos focarmos também na arte de deixar o lixo no lixo e ficarmos quietos olhando sua decomposição do outro lado da rua, silenciosamente.

  264. Kiko Paiva diz:

    Deputado Jean,
    Continue defendendo a comunidade LGBT com sua lucidez de cafajestes como Guzzo e de publicações desonestas, preconceituosas e tendenciosas como veja.

  265. Thiago Sant'anna diz:

    Realmente; parabéns!
    Estou simplesmente indignado com tantas asneiras que este “ser” escreveu..nossa!

  266. marco antonio diz:

    BRAVO ! BRAVO DEPUTADO Existe um proverbio que diz É FEIO O QUE É DE ESPELHO deve ser o caso deste colunista kkkkk

  267. Celestino Gossler diz:

    Parabéns Deputado pela magnífica resposta, que servirá não só ao Colunista como para todos os Fundamentalistas/ Extremistas. Congratulações !

  268. Sandrelly diz:

    Perfeito.

  269. Gustavo Autran diz:

    Jean, sempre que der de cara com um artigo idiota como o que foi publicado pela Veja, tampe o nariz, domine seu asco e escreva textos esclarecedores como este. Um abraço.

  270. Alcirene diz:

    Perfeito texto! É um tapa na cara dos hipócritas do mundo!

  271. Walter Fogaça diz:

    Parabéns Deputado, sua resposta foi no cerne da questão e me deixa satisfeito pelos detalhes em cada ponto observado nos “argumentos” utilizados pelo Guzzo. Digo satisfeito por me sentir de certa forma “vingado” de tamanha atrocidade patrocinada pela revista veja com este tipo de conteúdo. É lamentável que um veículo de informação, fomente a homobia na sociedade.

  272. Marcia diz:

    A sua esperança é a mesma de muita gente e pelo que tenho ouvido ultimamente, de cada vez mais pessoas. PARABÉNS E OBRIGADA PELO TEXTO BELÍSSIMO!

  273. Walace Rodrigues diz:

    Esses “jornalistas” com ideologias medievais somente pioram a situação de intolerância contra os LGBT, negros, mulheres, pobres, etc. que se vê no Brasil. Melhor não Ver, ou seja, PARAR DE COMPRAR VEJA!!!

  274. Aline Letícia Bellini diz:

    O que dizer de alguém que, além de desempenhar suas funções adequadamente, pára com o compromisso na política, que assumiu, também luta pelos direitos de tantos cidadãos, que eram vistos como ” as minorias”, até pouco tempo atrás? E não estou falando apenas do Movimento LGBT, não! Parabéns! Um orgulho saber que no Brasil, existem (raras, mas existem!)pessoas com essa luz e essa sensatez, esse “sangue nos olhos” quando se trata de direitos, de eqüidade. Muito obrigada!

  275. Letícia Mota diz:

    Caro Jean, a pertinência do seu texto é incrível. Não consigo entender esse tipo de manifestação, como vc bem disse, ninguém é obrigado a gostar de nada, mas respeito para com o próximo vai além disso.
    Quando vc fala sobre orientação sexual diz algo simples, as pessoas nascem hetero, homo, lésbica, enfim, não há escolha pra isso. Sempre digo aos meus amigos que não houve um dia na minha vida que acordei e decidi ser hetero, isso era inerente desde sempre e não porque alguns insistem em dizer que com os gays seja diferente.
    Concordo plenamente que as pessoas busquem por seus direitos, sejam gays, negros, enfim, o que espanta é o espanto de alguns quando isso acontece. Casamento entre pessoas do mesmo sexo é um direito legítimo de todo cidadão. Eu tb sonho com um país melhor e legislaturas como a sua renovam minha esperança na política. Continue lutando e conte com meu apoio. Saudações

  276. Aline de Campos diz:

    Parabéns. A tua postura, inteligência e ironia refinada são uma inspiração. Ótimo saber que existem pessoas com posicionamento correto e sabedoria na política brasileira.

  277. Taty diz:

    Simplesmente digno, vc é excepcional!
    Queremos vc em Minas conosco em 2013, beijos pela vida contra o preconceito, pois não somos obrigados!

  278. Vinicius diz:

    Jean! Parabéns pelo texto que é simplesmente impecável. Vou procurar compartilhá-lo ao máximo para que possa ter a maior exposição possível. Considero inadmissível e lamentável que ainda existam pessoas com opiniões como a desse Guzzo e pior ainda, uma revista que aceite publicar tal opinião. Todos os esforços de pessoas mais esclarecidas devem se concentrar em eliminar esse tipo de visão/pensamento. Parabéns mais uma vez. Abraço.

  279. Rosane diz:

    Só posso dizer: graças a Deus temos pessoas como você aí… Parabéns pela postura!

  280. Lidiane diz:

    A cada frase lida fui me elevando de uma alegria imensa, por saber que temos pessoas que valem cada voto recebido.Parabéns e obrigada

  281. Elismar diz:

    Otimos argumentos Jean Willys defensor dos direitos humanos.

  282. Sabrina diz:

    Mto bom!!
    O pior é saber que essa criatura imbecil é formadora de opinião e que nem todo mundo terá acesso ao outro lado da moeda exposto por vc.

  283. Maria Lucia Sampaio diz:

    Parabens Jean.
    Me orgulho de você ser bahiano.
    Precisamos somar, abrir nososs horizontes e amar.
    Da bahiana,
    Lucia

  284. Sueli Santos diz:

    Parabéns Jean! Que os outros o tomem como exemplo sua capacidade e coragem!

  285. Fellipe diz:

    Excelente manifestação Deputado… Sagaz e Perspicaz

  286. Maria Aparecida luiz diz:

    Parabéns Jean, já há a revista Veja deixou de ser um serviço de comunicação repeitável.

  287. Adriana Raele diz:

    Um, em 513 ! Seja como parlamentar, seja como professor, seja como cidadão!É disso que o Brasil precisa.Pessoas interessadas, contestadoras, lutadoras e de quebra, cultas e inteligentes!Parabéns , Deputado !

  288. Nelson Figueira diz:

    Parabéns, belíssimo artigo.

  289. Maria Helena Viciariuc Chagas diz:

    Prezado Jean, você merece ser aplaudido de pé! Que ser humano raro! Sua postura e sabedoria nos dá orgulho! Se tivéssemos um Congresso embasado na sua dignidade, este país estaria salvo! Parabéns e meu sincero respeito!

  290. Renato diz:

    Deputado, perfeito o seu texto. Não sou gay, mas não tenho o mínimo problema em ser totalmente favorável à união (ou qualaquer tipo de relacionamento) entre pessoas do mesmo sexo. Não vejo como alguém pode se posicionar contra essa situação, ainda mais alguém que esteja trabalhando num meio de comunicação de tamanha repercussão. O texto da Veja é assustador, em todos os sentidos.

  291. Lizardo Paixão diz:

    Caro jean,

    Há muito tempo não lia algo tão nojento como o artigo desse sujeito chamado José R. Guzzo. O seu artigo-resposta é um libelo contra esta lixo chamado Veja que espelha o que há de pior na sociedade brasileira. Não sou homossexual mas esses tipos de manifestações homofóbicas me reviram o estômago. Posições como a sua nos lavam a alma e a lama que esta revista lança em cima de todos as brasileiras e brasileiras que preservam o respeito à dignidade do ser humano, tenha ele orientação sexual que for,a cor que for, o sexo, a idade, a raça que for. Parabéns, meu companheiro. Você é um ser humano de primeira.

  292. Rosane Cristina Gonçalves diz:

    Concordo em letra, número e grau e fico bastante orgulhosa do país ter um deputado com esta visão libertária.
    Parabéns!

  293. TThiago Hermes diz:

    A desconstrução do “texto” do famigerado “jornalista” pelo deputado foi monumental, convincente, coberta de coerência e digna de aplausos. Parabéns Jean!

  294. Manu Marques diz:

    Não é de hoje que a revista Veja tenta incutir nos incautos leitores, a avidez pelo racismo, discriminação e tantas outras vórtices que separam a sociedade que deveria ser democrática e igualitária em uma terra de superiores e inferiores. Veja que lixo, é o mínimo que se pode dizer de um “deserviço” prestado pela editora Abril. Parabéns Jean!

  295. Victor Martins diz:

    manifesto meu apoio. o proprio nome da revista é no imperativo, quase uma ordem do ‘super-ego’: “veja”! a exclamação fica por minha conta pra enfatizar o imperativo desse outro que diz o que quer no nosso lugar e nos diminui à dimensão do olhar. esse outro que faz ver se coloca na posição de um mestre que produz em seu leitor mais que um simples ‘objeto-olhar’, mas um discurso que faz falar a partir da perspectiva de uma direita conservadora e pré-conceituosa. o leitor de ‘veja’! so faz ver, ele é reduzido ao olhar, um leitor surdo e mudo, não possui uma palavra produzida a partir da experiência vivida da sociedade em sua complexidade, mas apenas daquela que poderiamos dizer alienada das contradições da propria sociedade, pois é uma visão especular da sociedade, fragmentada. a idéia é não olhar com os olhos da ‘veja’!, mas procurar um olhar, uma escuta e um discurso proprios.

  296. Bel Balieiro diz:

    Bem escrito e muito lúcido. Adorei a fina ironia e eu também “não sei que tipo de relação estável o senhor Guzzo tem com a sua cabra” ;)

  297. Luiz Jr diz:

    Veja que lixo!

    Quando leio esses textos sempre me veem a tona como em grande parte o ser humano é ignorante! Os animais nunca se ‘eliminam’ por puro prazer ou motivos futeis, mantem sempre a sociedade em harmonia e em quantidade. Este simples instinto natural a eles parece não interferir em mentes com pouca ‘ligaçoes’, o que deveria, iriamos(seres humanos) muito mais além da reduçao de crimes somente contra os gays.

    Parabéns Jean, ganhou meu respeito. Texto limpo, com uma dose de revolta, mas sem mostrar interesses além.

  298. suelen diz:

    parabens JEAN!todos temos que respeitar o ser humano do jeito de cada um.

  299. Murillo diz:

    Li o texto do Guzzo e achei excepcional, também partilho da opinião que ninguém é obrigado a gostar de gays, cabras ou espinafres, como também partilho da opinião de que podemos dizer que não gostamos de gays, cabras e espinafres sem ofender ninguém claro, do mesmo modo que 90% das mulheres falam que me acham menos ‘atrativo’ por ser peludo (e não vou me depilar mesmo), mais o direito delas poderem falar isso a mim sem me ofender tem que ser garantido. Porém, ao ler as réplicas sobre a opinião dele, fiquei mais estasiado ainda, pois você e os outros têm a mais absoluta razão, não podemos fazer as comparações que ele faz, não podemos deixar uma lei retrógrada nos reger no século 21 (como muito bem dito por você), pois é justamente a lei que vocês querem mudar.
    A única coisa que ele disse e que pra mim realmente faz sentido e não sei se a comunidade gay entende ou não, é o fato de podermos ter o direito de expressar nossa opinião sem sermos taxados de homofóbicos.

  300. Maximiliano Souza Dezolt diz:

    Parabéns a você, Jean Wyllys, por essa sua crônica magistral! Tenho a honra de afirmar-lhe que concordo com seu exposto acima em gênero, número, grau e caso! Esse tal colunista, com certeza, dilaceraria, incomensuravelmente, algum de seus próprios filhos ou filhas se fosse homossexual ou lésbica! O que se evidencia de acordo com o supracitado em sua coluna-lixo é que ele não tem nenhum grama se quer de senso humanitário! Ao contrário, é a desumanidade personificada, já que para ele, pimenta nos olhos dos outros é, de fato, “refresco”! Isso, porque não se ,única e ,dele, mas, sim, dos outros, seus semelhantes!

    “Ah, os seus filhos ou filhas! O que será que o sr. Guzzo faria com eles”?

  301. Tide Marques diz:

    Sr Jean
    Numa democracia todos podem se manifestar como quiserem. Nesta revista o jornalista manifestou o que pensa, como a grande maioria do povo brasileiro e ponto final. Privilegiar minorias é dar a elas direitos que todos os brasileiros, pagadores de impostos, querem.

  302. Diego diz:

    Achei que tanto o texto do Guzzo como o do Jean possuem pontos favoráveis e outros questionáveis. É claro que os dois lados (fica claro nos dois textos a guerra de lados em várias esferas) vão se acusar, questionar os argumentos e ofender um ao outro.

    O fato é que este debate é recheado de vários aspectos questionáveis (entre os quais egos inflados, orgulho e interesses pessoais) e é por isso que não é possível enxergar uma conclusão plausível para ele, infelizmente.

  303. Bete Correia diz:

    Jean, Parabéns! texto maravilhoso. Que bom que vc se colocou, nos agradecemos.

  304. Mariana Castro diz:

    Senhor Wyllys, parabéns pelo belíssimo artigo. A revista Veja enoja-me em praticamente 90% de tudo que publica. São reportagens, editoriais e colunas tão tendenciosas, dignas de uma mera publicação de extrema direita.
    Fico feliz que o senhor tenha dado uma resposta tão bem estruturada, pois não podemos deixar manifestos públicos de homofobia como esse passarem em branco.
    Sou muito orgulhosa de ter votado no senhor nas últimas eleições e ver que estou sendo muito bem representada.
    Obrigada!!!

  305. Dani diz:

    Texto perfeito!
    O triste é saber que tem muita gente – ainda – que considera a revista Veja uma revista séria…

  306. Jefferson diz:

    Se é colocado bi, hétero e homo como orientação sexual, então se quer dizer que somos iguais nessa questão da escolha de um parceiro…não entendo o porque da criação de leis especificas para homossexuais diferenciando assim os homos dos héteros, da mesma forma que homossexuais querem ser respeitados nós héteros também queremos como seres humanos. Respeito todos querem independente de orientação sexual, classe social, religião, etnias, etc.

  307. Fabio diz:

    Muito bom o texto! Espero que as pessoas acordem e parem de ler e dar atenção a este lixo de revista. Acho, inclusive, que todos os gays e simpatizantes deveriam deixar de comprar a revista e cancelar a assinatura. E incentivar os outros a fazer isto. Além de contribuir com a causa, a pessoa se livra de uma revista de qualidade péssima e que não agrega nada a ninguém.

  308. Jeir diz:

    Bonita retórica desse “rapazinho”. Mas, discordo. Muito bem articulado, mas os que mais discriminam são as chamadas minorias ou no contexto, os homossexuais.

  309. Thereza diz:

    Parabens,eu adoro espinafre mas não sou obrigada a gostar do Guzzo e muito menos da VEJA!

  310. Marco Aurélio diz:

    Meu caro Jean, antes de tudo, parabéns!

    Sou heterossexual, e prego o respeito às diferenças. Se não nos pautarmos no respeito, não merecemos o nome de sociedade…

    Sou eu também um diferente: casei-me com uma pessoa 14 anos mais velha. Por ser vítima de preconceitos vários, apoio o total pró-conceito: divulgarei aos meus a igualdade de tratamento e direitos entre homo e heterossexuais como valor de família.

  311. Talles Thadeu diz:

    Caro Jean, gostaria de deixar aqui meus parabéns, não pelo texto escrito, mas pela sua postura como político e cidadão. É um alívio saber que ainda existem pessoas com esse nível de caráter e lucidez. TE desejo coragem e força. Você vai longe. Um abraço da Paraíba.

  312. KEVIN AKSACKI diz:

    Simplesmente sem palavras diante de tamanha IGNORANCIA e falta de conhecimento, cultura e informacao…IGNORANT is the best way to put it!!!
    Sr. Jean Willys, estou simplesmente honrrado e feliz de saber que apesar de tanta ignorancia ainda presente no Brazil, apos estar fora 22 anos, fico muito feliz em saber que temos pessoas Inteligentes como voce lutando pelos direitos dos GLBT. Tambem devo confessar que fiquei muito impressionado com tua forma intelectual de abordar / responder a esta materia com tanta classe, conhecimento e Sofisticacao!
    Estou orgulhoso de voce!
    Um Forte Abraco e Parabems por esta linda materia!
    Kevin Aksacki
    Los Angeles – CA

  313. Maria Rocha diz:

    Acho que este texto é um tapa na cara em todos os sentidos.Acredito que o dito jornalista lá não tem se quer conhecimento de metade do que Jean acabou de esclarecer aqui.Tenho muito orgulho de voce Jean!!Vida longa!!

  314. Monica diz:

    Parabéns Jean, amei.

  315. Benedito diz:

    Aula de civilidade e cidadania. Parabéns, Jean Wyllys. Siga em frente na sua luta, que ela é de todos os seres humanos.

  316. Vera Rolim diz:

    Quero tb dar os meus parabéns ao deputado Jean Wyllys por este seu artigo lúcido e corajoso! Que orgulho por termos parlamentares desse porte, que tb propiciam o desenvolvimento do nosso papel de cidadãos.

  317. Pierre Freitaz diz:

    Como sempre vc escrevendo magnificamente bem e dando uma ótima resposta para esse senhor que não tem o que fazer e faz algo é denegrir a imagem da população LGBT. Parabéns Jean pelo ótimo trabalho que vc está desenvolvendo no Congresso… Beijos e força na peruca pois ainda ah muito trabalho pela frente……

  318. Guilherme diz:

    Sem palavras… arrasou! Espero realmente q Guzzo leia esse incrível texto e esse tbm (http://br.noticias.yahoo.com/blogs/on-the-rocks/semovente-221229834.html) e acabe com seus PRÉ-CONCEITOS

  319. Cátia Cardoso diz:

    Texto sábio e agradável de ler.Parabéns Jean!! Muito infeliz o que foi escrito, e publicado pela VEJA (que lixo!). Há tanto para ser discutido, há tanto para ser construído nesta nação. Tantas injustiças a serem reparadas e alguém para e compara gays com cabras e espinafre. Cabra Safado, é como chamamos por aqui um sujeito como esse.

  320. José Arnold da Serra Costa Filho diz:

    Prezado deputado Jean Willys: parabéns pelo artigo. Você é brilhante e nesse artigo demonstra todo o seu talento e respeito pelos direitos humanos. Quanto ao que escreveu o colunista de Veja, que prefiro não mencionar o nome, é simplesmente repugnante. Já fui assinante de Veja e ia renovar minha assinatura. Agora, prefiro esquecer a existência dessa revista.

  321. Italo Moriconi diz:

    Muito bom, Jean.

  322. Beatriz diz:

    Olá Jean,

    Quando li em algum post do facebook esse infeliz artigo do tal Guzzo… comecei a ler, e já estava achando tudo bem absurdo, mas quando eu li “cabra”, juro que achei que fosse fruto de uma desatenção minha. “Como assim cabra, me perdi no texto”. Para minha completa e absoluta surpresa, não, eu não tinha me perdido no texto, não entendi errado, não li errado! “Peraí. Cabra. Sério?”.
    Parabéns ao seu texto de resposta a esse indivíduo, porque eu sinceramente não tenho a menor idéia do que responderia a ele!
    Abraço!

  323. EDUARDO SANTOS diz:

    Parabéns…falou muito bem por uma causa histórica…agora devemos lutar pelos irmãos ugandenses …abraço!

  324. Adriane Garcia diz:

    Quero parabenizá-lo pela postura lúcida e corajosa. Concordo totalmente com suas palavras. A discriminação pela orientação sexual é tão imbecil quanto o racismo e, apesar de não haver surpresa alguma, sempre fico abismada de como um órgão de imprensa pode ir tão baixo. Não é uma questão de liberdade de expressão, o artigo do admirador de cabras Guzzo, é uma ofensa à dignidade humana. Mas, agora, tenho dúvida se ele sabe o que é isso.

  325. Ramon Mendes diz:

    Lastimável. Como dar um voto de crédito para uma luta destas? De um lado a Veja,de outro a ditadura GAY. Se eu criar o dia da parada do orgulho hétero vou conseguir aparecer nas colunas sociais como estes aspirantes a celebridade decadente, político monocórdico e revista reacionária?

  326. Bruno diz:

    Texto digno do melhor deputado do Brasil. Parabéns Jean!

  327. Manoel Santana diz:

    Excelente texto e argumentação. Quanto à Veja, é por essa e outras que parei de comprar Veja a mais deusa década. Parabéns deputado!

  328. tarcila diz:

    incrivelmente apoiado..fiquei chocada com o texto que o tal colunista escreveu, e infelizmente ainda existem pessoas que devem concordar..

  329. Natália Alves diz:

    Lucidez, afinal! Parabéns

  330. Joao Luiz Sesering diz:

    Caro Deputado Jean Wyllys, ainda não havia lido a coluna do Sr. Guzzo, soube apenas hoje pelas mídias e achei de uma imbecilidade e como Você diz de maldade, muito grande. Fico Triste quanto vejo uma pessoa que teve acesso à cultura e educação se portar dessa maneira. Mas ler a sua resposta à matéria me dá esperanças. Parabéns.

  331. Fabrizio Porpino diz:

    Bem respondido. Parabéns! Olha, a revista Veja, tinha minha admiração principalmente pela seriedade e pelo foco afiado sobre a corrupção pública no país, mas tenho notado o crescimento de um conservadorismo arcaico em certos colunistas da mesma (nos moldes do interior ultra religioso e republicano dos Estados Unidos), que vai contra o dinamismo e evolução natural das sociedades sempre mutantes. Lembrem-se, começamos a história vivendo em cavernas, criamos as línguas faladas e escritas, criamos ídolos e deuses, criamos reinos, criamos países, criamos religiões, criamos guerras, criamos tratados e leis etc etc… Mas a coisa mais lúcida e real que o homem criou foi a CIÊNCIA. A ciência é nossa única chave para a verdade, nosso único caminho real para a verdade, sem ser baseado em lendas, fantasias, ou fofocas postas em supostos livros sagrados. Ou seja, a ciência é o nosso mais puro caminho para DEUS (se é que ainda vamos ter necessidade de tal ao ritmo de nossa evolução). O homem já idolatrou animais como deuses, mas felizmente evoluiu! NÃO HÁ COMO PARAR A EVOLUÇÃO, os que tentam traçam seu caminho para o dispensável cada vez com mais velocidade nas sociedades cada vez mais velozes na informação. Por isso, VEJA, veja seu futuro pelos atos do seu presente.

  332. Ivan diz:

    Carecíamos mesmo de cabras machos (não a cabra de Guzzo, mas em bom nortesdinês, homens de fibra)como Jean Wyllys na política e na rede. Parabéns deputado.

  333. ana lucia diz:

    Fantástica resposta! Parabéns,deputado! Quem dera que cada BBB nos brindasse com homens de seu caráter e quilate!

  334. Maya Fortes diz:

    A Veja não está comprometida com um jornalismo sério, eu gostaria muito que mais pessoas tivessem consciência disso. Eu como estudante de Ciências Sociais me sinto também diretamente atingida pelos ataques à profissão do antropólogo em inúmeras reportagens da revista.

  335. Bruno Sousa diz:

    o que dizer dessa postura absurdamente ridícula desse “jornalista”? tão surreal que fica até difícil de comentar! Parabéns Dep. Jean pelo artigo. Alguém tem alguma dúvida de onde no Brasil o termo ‘imprensa marrom’ é mais usual?

  336. Ivanilson Holanda diz:

    Nossa, eu adorei o ser “histriônico” que tu és. Parabéns!!! Esse “povo” pensa que os homossexuais não tem cultura. Fico a pensar até quando teremos a mentalidade falsa-moralista desse tipo de gentinha. Aliás, fico orgulhoso da sua LINDA e bela escrita.
    Manaus – AM

  337. Robson Girardello diz:

    Jean, confesso que senti prazer ao ler o primeiro parágrafo, imagino quem mais usaria uma alusão a Geni e o Zepelim. Vc foi brilhante, como costuma ser.

  338. Alexandres diz:

    Sr. Jean Wyllys, tenho orgulho de tê-lo como representante!

  339. Victor Said diz:

    Quando me ligaram da Editora Abril oferecendo a excelente oferta de 80% de desconto nas mensalidades da revista Veja, eu simplesmente disse com a maior calma e educação: “Não, muito obrigado. Compro papel higiênico mais barato do que esse que estão me oferecendo!”

    Jean Wyllys a você meu total e incondicional respeito e admiração!

  340. genario lins diz:

    A revista veja para mim é totalmente dispensável. Nunca tive apreço por esta publicação. desprezível e dispensável.

  341. walter diz:

    Parabéns pela matéria Jean. Fora o preconceito, a hipocrisia e a falta de informação.

  342. Bruna Vianna diz:

    Como sempre, esta revista patética e desesperada por atenção está distorcendo informações, ocultando fatos e criando teorias completamente ilógicas para tentar angariar alguma atenção.
    Permitir que algo assim seja publicado em um meio de massa é um crime! A imprensa tanto fala que a censura é um absurdo, que jamais deve existir censura de nenhum tipo, mas acredito que mentira e falta de noção devem ser sempre censuradas. Se alguém pode ir preso por xingar um homossexual na rua ou discriminar uma pessoa negra por sua cor, acho completamente plausível que esse “jornalista” seja passível de punição semelhante. Afinal, entendo que comparar pessoas com determinada orientação sexual a animais, ou pior, a seres inanimados como um espinafre ou uma pedra é discriminar não uma, mas milhares de pessoas.
    A ignorância e a impunidade são um câncer para o Brasil!

  343. Sergio Viula diz:

    Obrigado pela resposta que vocaliza os sentimentos de tantos de nós LGBT e de heterossexuais esclarecidos.

    Um grande abraço, Jean.

    Sergio Viula

  344. Sharlie diz:

    Simplesmente PERFEITO, parabéns pelo desabafo.

  345. geraldo diz:

    …fico muitoorgulhoso por saberque tem pessoasquepensamcomoo deputado. Meus parabéns,pela sua opinião inteligente e meu repúdioao sr. guzzo(queinfelicidade de entrevista meu caro), realmente é direto pro lixo.

  346. Anadir Vicari diz:

    Parabéns Deputado,muito bom seu texto.Esse tipo de gente não merece ser chamado de humano e muito menos de animal pq até eles tem compaixão e convivem muito bem entre si.Apenas merecem nossa indiferença.Pobre da cabra ter que suportar um ser como ele.rsrsr..
    Abraço

  347. Daianne diz:

    Se tem algo que me dá orgulho de ser de Alagoinhas é saber que eu sou conterrânea de uma pessoa excepcional como você, Jean! Exemplo de dignidade, um verdadeiro sábio! Parabéns pelo artigo, está incrível!

  348. Camilla Oliveira diz:

    Sou cada vez mais sua fã, Jean Wyllys. Parabéns pelo artigo e pela luta. Sem mais.

  349. Bianca diz:

    A grande questão é que as certas pessoas simplesmente não aceitam a diferença.
    Depois de muita luta convivem com pessoas de outras raças, religiões… e a homossexualidade está no auge dessa luta.
    Muito bom seu texto Jean, orgulho de ser sua conterrânea!

  350. Inajara Smaniotto Kümpel diz:

    Sou uma cidadã completamente desacreditada com os nossos políticos! Mas c/ certeza, quero registrar o orgulho como brasileira, de termos no Congresso alguém deste “quilate”. Embora já tenha gostado demaaaais de suas entrevistas e pronunciamentos, estou surpresa, Deputado Jean, com a sua extrema lucidez, sutileza, enfim,é o feeling num campo minado de corrupção, insensatez e falta de vergonha na cara. Obrigada pela sua coragem e por ter acendido uma velinha lááááááá… no final do túnel…

  351. Rita Mello diz:

    Jean, comungo com o pensamento do colega Vinícius, estabelecido em 14 de novembro último.
    Sem mais delongas…
    A propósito, faço questão de registrar o meu mais profundo e sincero respeito por você.
    Admiro-o muito.
    Sinto sejas um dos melhores exemplos, não somente para o nosso país, mas para o mundo, sob os aspectos filosóficos, humanos, espirituais e, sem querer ser repetitiva, HUMANOS!!!!!
    Sê Feliz, Amigo e grande representante de todos nós brasileiros.
    Muito obrigada por toda a sua luta, por toda a sua filosofia, por todo o seu empenho, por todo o seu foco, que tenho certeza, lícito, íntegro, digno.
    Sê Feliz!
    Muitas bênçãos.
    beijos

  352. Luciana diz:

    Fantástico seu texto.
    É triste ver que ainda existem pessoas que consideram ser homossexual como uma doença, algo de que as pessoas devem ser “curadas” e que até hoje não descobriram que isso não é algo que se escolhe, e sim algo inerente a cada um. Também é lamentável ver que existem veículos de comunicação que se propõem a publicar e disseminar esta “filosofia”…
    Como já foi dito anteriormente, é claro que ninguém é obrigado a gostar de nada nem de ninguém, mas daí a tornar isso público é uma outra história. Se esse for o caso do colunista da revista, que ele guarde isto para si. Infelizes comentários. Ele deveria ter consciência de que um mínimo de respeito pelos outros é necessário é necessário em qualquer situação.
    Parabéns, Jean, pelo seu texto.

  353. Fernanda diz:

    Caro, Jean

    Parabéns pela sua lucidez moral e intelectual. Sinto vergonha – como jornalista e como cidadã – que ainda se permita que um sujeito homofóbico, desonesto e medíocre como o Sr.J.R.Guzzo exponha publicamente sua forma tortuosa de pensar e (pior), protegido por um veículo de imprensa que (apesar de ser reconhecidamente um lixo), faz parte de um dos maiores conglomerados de imprensa do país. Este senhor envergonha a imprensa e, sem dúvida, envergonha a sociedade brasileira. Da mesma forma que tenho esperança de um dia ver os direitos da comunidade LGBT assegurados, também tenho a esperança de ainda ver profissionais(?) como este senhor serem banidos da imprensa brasileira.

  354. Klauber Marcelli diz:

    Parabéns, Jean!! Destruiu o artigo de Guzzo. Uma aula de redação e de senso crítico altamente elevado! Tem meu apoio!!

  355. Fábio diz:

    Sou leitor de Veja há anos, heterossexual, e nunca li sua coluna antes. Mas gostaria de manifestar minha completa concordância com seu texto. Perfeito! Parabéns!

  356. Jayme Serva diz:

    Belíssimo texto. Espeta no centro a tática de argumentação de Guzzo, que parte de estabelecer falsas premissas de “naturalidade” e “artificialidade” e, a partir delas, chegar a conclusões que tenta fazer parecer verdadeiras. Procura fazer uma versão chic do que é puro preconceito, mas não resiste à grosseria quando usa a infeliz analogia da cabra. Quanto à Veja, segue seu destino de ser um veículo 100% dispensável.

  357. telma maria zucoloto diz:

    Tem que responder sim para esse tipo de gente saber o quanto é ridículo e ruim.
    E graças a Deus é a minoria.
    Parabéns Jean!
    Parabéns Deputado,
    O Brasil tem muito orgulho de você.

  358. Marcelo diz:

    Uma resposta à altura, ou melhor,superior em inteligência e intenção!

  359. Gizeli diz:

    Parabéns! Precisamos nos movimentar cada vez mais contra os preconceitos de qualquer espécie para que um dia não sejam mais necessários movimentos de qualquer tipo. Sonho com o dia em que todos serão tratados com respeito em suas individualidades como um todo, sem depreciação por órientação sexual, religiosa, política, ideológica… Quando o coração é bom, se respeita ao semelhante, aos animais, às plantas e a tudo o que Deus criou…

  360. Mauricio diz:

    Brilhante essa matéria, Jean. Te confesso que infelizmente a minha esperança de, como gay, viver numa sociedade mais justa e menos preconceitosa, já acabou há muito tempo. Porque o Brasil tem uma grande facilidade de:aceitar políticos corruptos (não todos, é claro!), pedófilos, traficantes, assassinos, assaltantes, enfim. Quando é a vez dos homossexuais, a sociedade preconceituosa e hipócrita que é, sempre foi e sempre será nos trata como diabo, demônio, capeta… Querem nos matar, nos assassinar (fisicamente, intelectualmente, moralmente e emocionalmente).Quem é gay sabe que esse preconceito está longe de acabar porque infelizmente já sofremos tal logo no pré-natal e já acordamos todos os dias pra enfrentar o preconceito e a homofobia que existe num país que se diz tão democrático. Só tenho a agradecer por você ser o nosso porta-voz e lamentar que isso, infelizmente, nunca terá fim!!!

  361. Felipe Grillo diz:

    Obrigado, Jean!

  362. Cacilda diz:

    Parabéns pelo texto e pelo – corretíssimo – posicionamento!!! Entendo quando o senhor fala do asco que teve que deixar de lado para responder a tanta imbecilidade. Às vezes desanima debater com a falta de interesse em entender. Como o senhor bem disse, não se trata de pura e simples ignorância; é a necessidade de espalhar o preconceito, o ódio e a falta de respeito. Esteja atento e disposto a esclarecer…sempre!!!

  363. Bárbara Caldas diz:

    Oi, Jean, concordo, que o texto do José Roberto foi infeliz, mas ele chamou a atenção para uma coisa que eu acho que o grupo que de fato legitima o movimento LGBT deve ficar atento: é a facilidade como hoje em dia toda e qualquer indisposição entre uma pessoa hetero e uma homossexual é chamada pelo segundo de homofobia, palavra esta que deveria ser o alicerce da luta dos LGBT, tem sido largamente utilizada de modo leviano. Por exemplo, tive problemas com vizinhos muito barulhentos, que insistentemente colocavam um som altíssimo nos horários que lhes davam na telha, recusando sempre às minhas solicitações de abaixa-lo. Quando a questão acabou indo para o condomínio e eles foram multados, a primeira providência que tomaram foram dizer que aquele era um caso de homofobia, ao invés de um caso onde um grupo de moradores de um apartamento de um condomínio tinha a arbitrariedade de propagar os sons de sua casa do modo que melhor lhe aprouvia sem se importar com o incômodo dos demais. Tem sido perigoso, principalmente para a causa mais que justa de vocês, o uso indiscriminado da palavra homofobia. Coloquei aqui o meu caso apenas como o exemplo pessoal que me cabe e que lhe garanto que foi muito desagradável, até porque tenho vários gays em minha família e em meu círculo de amizades, pessoas as quais amo e respeito, mas poderia citar aqui vários outros casos de amigos meus de orientação heterossexual que tiveram também momentos em que foram injustamente chamados de homofóbicos por terem tido momentos de desavença com pessoas de orientação homossexual, quando a origem de tal caso passava mais do que longe disso.
    Essa falta de critério com a qual a palavra homofobia muitas vezes é utilizada, é um veneno para o apoio que o grupo LGBT recebe e possa vir as receber dos grupos chamados de dominantes e é assunto que, creio eu, deva ser alvo de vossas meditações.

  364. Eduardo diz:

    Um tapa na cara de qualquer homofóbico.
    Infelizmente, nossa civilização ainda é muito ignorante. A pobreza intelectual é a nossa pior miséria. Um dia, nas crônicas desse mundo, teremos vergonha das insanidades de outrora.
    Parabéns!

  365. Elisangela Dias diz:

    Realmente, “Veja que lixo”. Não poderia ter outro nome mais apropriado. Parabéns pela clareza, pela lucidez e pela objetividade nas palavras.

  366. Nivea Leite diz:

    Nao acho que o texto seja uma falácia intelectual. Creio que o Guzzo seja meio burro mesmo.

  367. Fernando diz:

    Os homossexuais mereciam representantes mais inteligentes e menos demagogos. O texto periclitante (da Veja) demonstra de forma bastante crítica que a militância gay, burra e agressiva, só complica a vida dos gays. Se tivessem lderanças espertas e capazes certamente estariam bem melhor. Parece que as lideranças gays ainda não entenderam que a base da sociedade é a família. É mudando as relações familiares que serão mudadas leis e costumes, não o contrário. A certidão de casmento com a conhecemos somente vei a existir muitos séculos após o reconhecimento, pela sociedade, que a unidade básica familiar era formada por um homem e uma mulher. Quando a maior parte da sociedade acreditar que a unidade básica da família pode ser formada por dois homens, duas mulheres, dois homens e um mulher (tem país que pode um home e muitas mulheres).. um homen e uma cabra, duas cabras um boi… enfim o que quer que seja, a Lei certamente será mudada. Agora, uma minoria tentar enfiar goela abaixo de toda o restante da sociedade sua agenda, é de lascar. Tem que negociar. Tem que esperar. Passar a EXIGIR direitos sobrenaturais, só complica e levanta a ira daqueles que são contrários à causa. Ao contrário de vocês, acredito que o texto foi bem escrito, e trata de um problema seríssimo dos homossexuais: sua liderança!

  368. Nara diz:

    Dep. Jean Willys:
    Parlamentar impecável e merecedor do respeito de todos os brasileiros e brasileiras – especialmente dos baianos, por tê-lo como conterrâneo -, brilhante representante/defensor de causas tão ignoradas, e porque não dizer, excluídas mesmo.
    Um grande abraço de sua admiradora,
    Nara

  369. Gllauco Smith diz:

    Belo texto! Pertinente, sensato, lúcido… É necessário combater todo e qualquer tipo de preconceito. São textos como os de Jean Wyllys que fazem com que, educadores como eu, continuemos a acreditar que é possível educar para a construção de um outro tipo de arranjo societário: mais humano, mais justo, mais democrático e mais respeitoso à diversidade de comportamentos humanos. São textos como esse que nos impulsiona a educar mesmo em tempos de desencanto!!!

  370. Rafael diz:

    Ao invés de questionar trechos da coluna, o senhor poderia combater a ideia central da mesma. Porque eu concordo plenamente com o que ele diz, apesar de ele ter sido deselegante em algumas passagens.
    O texto dele me lembra a questão das cotas para negros, que ao meu ver só servem para estimular o racismo e distinguir as pessoas pela cor. Ora, se há assassinatos de homossexuais, há tb de torcedores de clubes de futebol, porém isso se deve não ao racismo em si, mas ao problema social existente no país. As pessoas matam por qualquer motivo, qualquer coisa serve de pretexto.
    Finalizando, não acredito que seja o seu caso, mas a população em geral sabe ler, mas não interpretar, por isso se revolta tanto assim com o texto do colunista.
    Detalhe, não sou homofóbico, antes que alguém diga, apenas prego a liberdade de pensamento e expressão, porém ficar fazendo propaganda homossexual não ajuda a acabar com o preconceito.

    Rafael

  371. Raul diz:

    Parece que estamos vivendo numa época de ditadura gay!
    É a época de quem se faz de coitado, de minoria, ter poder para esmagar quem pensa diferente.
    Para quem não sabe, vc não pode denegrir nem humilhar uma determinada pessoa, bem como constranger alguém pelo seu desvio, agora quanto a falar de forma genérica, isto não é e nunca será proibido.
    Eu acho engraçado é o fato de os homossexuais pedirem para respeitarem sua opção sexual, mas os mesmos não respeitam a minha opção de ser heterossexual. A vida social no Brasil está chegando a um ponto em que se eu receber a cantada de um gay e recusar o convite, serei tratado como homofóbico!
    Domingo é a parada gay aqui em Copacabana. Poderia ser um momento político/cívico de reivindicação de seus direitos, ok. Mas não é. É um carnaval. Um dia inteiro de gritaria, de música ensurdecedora que não te deixa ler ou assistir tv. Alguns poucos representantes sérios, mas um monte de gente bêbada se exibindo sexualmente, se bolinando. Sexo, seja da forma que cada um preferir, é entre quatro paredes, não na rua. Não condeno a parada em si e não aprovo agressões homofóbicas, mas quem quer ser respeitado, tem que respeitar. Postura é tudo, este tipo de comportamento só reforça a associação entre gays e libertinagem.
    Parece que para os gays, quem discorda deles é taxado de homofóbico! Possuem direitos iguais (todos são iguais perante a lei) pois são como os héteros: seres humanos.
    Falam tanto em “respeito”,mas querem obrigar todos a aceitar a opção/estilo (seja o que for) deles. Se ofendem c/facilidade contra qualquer comentário que discorde da “filosofia” gay.
    Ninguém é obrigado a concordar com a postura dos ativistas gays (os quais não representam a “causa” gay.) Não existe causa gay ou hétero. O que existe é intere$$e em poder e status.
    Quase ninguém luta pelas vítimas de assaltos, latrocínios, pelos direitos do cidadão, pelas famílias de PMS mortos ou q viverão c/sequelas.

  372. Fabricio diz:

    Ainda bem que não leio a Revista Veja, nem de graça. Uma revista totalmente manipuladora e “prostituta” se vende por qualquer porcaria. O que fico chateado e mais revoltado é que tem idiotas que ainda assinam a Veja. Em nosso país deveria haver um código de ética não somente para jornalistas, mas também para todas empresas de comunicação, mas como disse, infelizmente nosso país é movido a interesses políticos e a milhões. E os brasileiros, como são simplesmente passivos a tudo, ou melhor dizer, são bandos de otários, que acham chique pagar e caro para ser manipulado. Mas como diz o ditado: “Enquanto existir cavalo, São Jorge não anda a pé” ou melhor, Roberto Civita andará de jatinho exclusivo e mandando uma banana para o povo brasileiro que se satisfazem com as peladas que a Globo transmite.

  373. Francisca Reis diz:

    Espero que um dia as pessoas digam:
    - “Veja? Que lixo!”

  374. José Roberto diz:

    Caro Jean,

    Fiquei maravilhado ao ler seu texto em resposta ao tal jornalista que se relaciona com cabras. Que bom que você existe! Que bom que você é deputado! Que bom que você é brasileiro e baiano, como eu!

    Um grande abraço!!!

  375. J.R. diz:

    Seu.Lindo.
    Jean, cara, você é demais!

  376. IG Barros diz:

    Sr Parlamentar
    Lembre-se que o sr. foi eleito para representar todos os segmentos da sociedade. Não vi qualquer manifestação desse deputado, a respeito dos assassinatos de PMs. em S.Paulo ou relativamente à situação escabrosa e indigna de nossos presídios. Absolutamente não sou contra s sua homossexualidade e não tenho nada contra a prática . No entanto, observo que , atualmente, discordar de qualquer texto ou observação que faça apologia ou referência elogiosa às qualidades dos integrantes do grupos LBGT est[á sendo considerado como crimee/ou posicionamento homofóbico.

  377. Jean Ricardo Ferreira Veiga diz:

    Parabéns amigo, pelas letras formatando palavras e frases que se agigantam por ideias tão bem argumantadas, embasadas na vida cotidiana de pessoas como nós que vivemos a procura de nossos direitos básicos de cudadãos.
    Jean; seu chará e conterraneo de Vargem Pequena.
    Obrigado por tudo quê você tem feito por nós.

  378. Gerson diz:

    Veja é a pior revista do Brasil. E nosso país tem uma das piores imprensas do planeta. Não precisa dizer mais nada.

  379. Luisa Sanches diz:

    Parabéns, Jean. Eu realmente esperava ler algo tão brilhante como o que vc escreveu. Porque admiro muito você. Quanto ao texto que vc caracteriza tão bem como uma “desonestidade intelectual” só mostra, mais uma vez, como essa revista é tendenciosa e faz tempo que não se pode dizer que se trata de jornalismo verdadeiro, porque lhes falta ISENÇÃO.

  380. Anderson ramos diz:

    É isso aí. Vamos defender as minorias. Vamos defender quem é violentado de forma silenciosa. Parabéns pela luta deputado Jean Wyllis. Estamos contigo!

  381. CLAUDIO HENRIQUE MARQUES diz:

    “As estatísticas se referem aos LGBTs assassinados exclusivamente por conta de sua orientação sexual e/ou identidade de gênero!” MENTIRA.

    O PRÓPRIO SITE QUE FORNECEU ESSES DADOS (GGB) CONFESSA QUE ESSES DADOS FORAM COLHIDOS DE FORMA NÃO MUITO BEM DEFINIDA. E PARA PIORAR A LISTA DE ASSASSINADOS TAMBÉM FOI PUBLICADA MUITOS GAYS FORAM MORTOS POR SEUS PARCEIROS JEAN VOCÊ É DESONESTO

  382. regina martinelli serra diz:

    Parabéns e obrigada, Jean, pelo texto. Deveria mandar para a revista, para ver se publicam, e este bando de ignorantes se sensibilize e pare de escrever tanta besteira.

  383. Airton Tiago diz:

    Quanta idiotice o nobre deputado se propôs a escrever. Comparar comunidade gay com comunidade negra? os negros durante quase toda a história das civilizações se quer eram aceitos como filhos de Deus, e por isso, pelo fato de não terem almas, não tinham também direitos algum. Primeiro eles tiveram que virar gente pra só depois lutarem (e muitos morreram lutando) por direitos básicos. Hoje, em qualquer sociedade aberta (que são a maioria) existem gays em todos os níveis sociais, profissionais, cargos militares, políticos, religiões, etc. Se o brasil fosse um pais tão preconceituoso, com certeza não existiriam tantos gays declarados famosos em nosso meio. O que não é aceitável é dar privilégios a um segmento da sociedade em relação aos outros. Definitivamente o Sr. foi infeliz ao comparar comunidade gay e comunidade negra, ou direitos das mulheres que eram consideradas seres inferiores aos homens.

  384. PAULA diz:

    Mesmo não sendo LGBT, prezo pela igualdade civil do nosso povo, direitos são direitos, e lutar por eles é totalmente lícito! COntinue sua luta pela sociedade brasileira…muitos estão do seu lado, eu estou!

  385. Eduardo da Silva Soares diz:

    Caríssimo deputado Jean Willys, o senhor faz cada um de seus eleitores se orgulharem de terem votado no senhor: postura, atitudes e palavras sábias e coerentes de um verdadeiro político (no sentido original que este adjetivo deveria ter sempre: político – aquele indivíduo que faz política de forma limpa e honesta, cuidando do social para aqueles que confiaram em sua pessoa). Parabéns pelo sábio texto crítico sobre o abominável artigo de um sujeito que nem merece ser chamado de jornalista …

  386. Raul diz:

    Continuação do texto abaixo.

    Quase ninguém faz manifestações contra o Auxílio Reclusão o qual paga mais de R$900 à família do bandido preso enquanto milhões de aposentados recebem 1 salário mínimo!
    Concordo que todos merecem respeito, mas não é admissível que um grupo de pessoas façam tempestade em colher d’água por causa de opiniões diferentes!
    Pessoal, independente de serem gays, bi ou hétero, são todos irmãos, querendo ou não, gostando ou não. Vamos viver em paz e em harmonia, não procurando pretextos para descarregar o stress em quem nada tem haver com nossos problemas.
    Espero que ninguém tenha se ofendido com estas minhas simplórias e sinceras palavras. Nada de deboche, nem ofensa e nem desrespeito. Abaixo a intolerância (de ambos os lados, sejamos honestos e realistas).
    Todos, tOdOs, TODOS, merecem respeito. É muito agradável ver as pessoas se entendendo bem, sem distorções e sem desavenças.
    J.R. Guzzo apenas expressou o direito de expor seu ponto de vista, assim como várias outras pessoas também expuseram sua opinião (contrária ou à favor) ao artigo do jornalista citado.
    Sou a favor do casamento gay, desde que não seja por interesse material (como ocorre em muitos casamentos héteros), pois o interesse em poder e status é algo que existe em várias pessoas (hétero ou gay), assim como também sou a favor do casamento hétero (pelo mesmo motivo citado acima). A escolha sobre quem se destina a paixão não pode ser taxada como desvio, tanto hétero quanto não hétero, mas a INTENÇÃO é o que realmente conta.
    Desculpe-me por escrever de forma redundante e detalhada, afim de não gerar má interpretação de texto.
    Todos precisamos de paz e não de mais pedradas.

    1 abraço e muita paz hein pessoal!

  387. RENATO diz:

    Parabens garoto!!!!!! estamos com vc!!!! e somos gratos pelo apoio recebido….

  388. Telma diz:

    O colunista perdeu um ótima oportunidade de ficar calado ao escrever seu artigo. Afinal quem fala o que quer, tem que estar aberto a ouvir o que não quer. E acho que ele falou de mais sem propriedade de causa, agora sente as reações de ações.

  389. Charles diz:

    J.R. Guzzo não instigou ódio algum, apenas expos a realidade. Os gays são, antes de mais nada, individuos como qualquer outro. Esse é o principal aspecto que a lei deve defender. Caracteristicas pessoais, são pessoais.

    O Sr. Wyllys deturpou completamente o sentido do texto, típico de alguém que procura pelo em ovo, pra ficar injuriado. Citando apenas um desses exemplos: se 300 homossexuais morreram só por serem gays, num universo de 50000 assassinatos, isso corresponde a 0,6%, quase meio porcento da população, de mortes por “homofobia”. Que, óbvio, precisam receber a devida justiça por assassinato. Mas está longe, muito longe, de representar um povo, como um todo como violento contra homossexuais.

  390. Maria diz:

    Parabenizo a você, Jean, por sua postura. Também espero o dia em que todas as pessoas tenham seus direitos respeitados e sua dignidade de ser humano colocada acima de qualquer preconceito.

  391. Rodrigo diz:

    Obrigado Dep. Jean por sair em nossa defesa. Li o artigo desse boçal e fiquei enojado. Fiquei decepcionadíssimo por a veja ter publicado esse monte de m****

  392. Erich diz:

    Muito de ad hominem e pouquíssimos ataques ao texto do senho J.R. Guzzo, muita objetividade – carregada de um entendimento que partiu de um preconceito justamente postado num oposto à homofobia – enquanto a argumentação se mostra violenta e por vezes repetitiva.
    Antes que se possa franzir o cenho e dizer algo sobre a produção textual de alguém, temos de ater-nos à uma linha lógica de raciocínio que nos leve a não criticar por criticar, querer ofender por ofender não vai levar o texto do senho J.R. Guzzo a ser mais ou menos aceitável. Assim sendo, pode-se perceber a excessiva inaptidão de ambos, o senhor Guzzo, inapto para se levantar contra os movimentos LGBT, utilizando de argumento que poderiam ser entendidos como dúbios, e o senhor Wyllys , que por vezes se mostra inapto sentimentalmente, abraçando de tal forma a causa dos movimentos LGBT que por vezes se mostra preconceituoso, de fato, contra o que foge a realidade gay, bem como foi apontado pelo senhor Guzzo, que por sua vez perdeu uma ótima oportunidade de se abster num assunto que não lhe é perfeitamente entendido, ou do qual ele simplesmente não faz parte.
    Fica claro, com a leitura dos dois textos que o preconceito existe sim, e mais ainda, existe dos dois lados; daqueles que segregam, tendo conhecimento ou não, os gays, lésbicas e bissexuais, e daqueles que fazem parte destes, ou seja, os próprios gays, lésbicas e bissexuais, que por vezes julgam argumentos e textos sem sequer ter entendido, em absoluto, o objetivo de tal texto, e assim exaltam toda sua ira de forma desnecessária, utilizando-se de argumentum ad hominem, criticando assim o autor e não o texto, tendo quem escreve como preconceituoso, “homofóbico” – que é um termo errôneo – e por vezes utilizando de colocações violentas, como no texto do senhor Wyllys – que é um grande defensor das liberdades sexuais, afetivas e amorosas – que questiona a sexualidade do senhor Guzzo acusando-o de zoofilia.
    Por fim, creio que devemo-nos colocar em limpos panos nossas crenças, vontades e desejos, mas que seja de forma justa e livre de preconceitos

  393. Gisele Queiroz diz:

    Jean,
    Mais uma vez obrigada. Vc já me lavou a alma tantas vezes: ao conseguir uma vaga no congresso, com suas defesas ferrenhas a favor dos direitos GLBT, com a sua atuação sempre fervorosa e presente. E agora mais uma vez, quando este senhor de uma revista (infelizmente) lida por milhões de pessoas nos brinda com sua ode à ignorância e ao retrocesso, vc responde à altura e com argumentos impecáveis.
    Pena que moro em São Paulo e não posso votar em vc: o faria de olhos fechados.

  394. Alonso diz:

    Não concordo nem discordo de seu texto nem do texto da Veja. Nos dois encontramos verdades e fatos gerados por opiniões próprias. Indivíduos gays se diferem até dentro da própria comunidade. Enquanto temos uma minoria que leva uma vida, digamos, comum, temos uma maioria, que tendem a ser motivo dos gays sofrerem uma grande discriminação, que se unem única e exclusivamente em favor de sua sexualidade, deixando de lado tudo que diz respeito as injurias que sofrem.

    Esse é só mais um caso onde vemos o quão longe vai nosso intelectuais que esquecem que todos tem o direito de ter suas próprias opiniões.

  395. joseane diz:

    Parabens pelo texto, e contuemos a lutar por direitos iguais.. seraa dificil, como todas as outras lutas foram, mais uma luta digna e fundamentada sempre mesmo que demore, sera vencida.O problema discutido pelo texto publicado na Revista Veja, e comparar seres humanos que se relacionam, com relacionamento de animais, a partir deste momento entendir a ideia do autor.Sou hetero, nascir hetero, mais podia ter sido homossexual, poderei ter filhos homessexuais, e nao e mundo que queria que ele vivesse, e sim num mundo com equidade, liberdade e respeito.Entao apoio o a causa por DIREITOS iguais, nao direitos especiais, como diz o texto , porque somos iguais perante a Deus e precisamos ser iguais perante a sociedade.Parabens Deputado!

  396. Gustavo diz:

    A Ciência ainda mantém estudos sérios p/ detectar se uma pessoa nasce ou não nasce homossexual.
    Não há uniformidade de opinião no mundo acadêmico/científico em relação ao assunto : só quando a maioria das Universidades, Pesquisadores e Organizações de Saúde concordarem nesses estudos, nós teremos um indício firme.
    ENTÃO, até lá os lados antagônicos não podem se arvorar em cravar nada … as não ser SE DAREM O “BENEFÍCIO / MALEFÍCIO DA DÚVIDA”, isto é, até lá deve estar claro que qualquer lado pode estar ERRADO !!!

    Como então o Deputado Jean Willys “bate o martelo” e crava que “alguém já nasce gay” ?!?!?
    Conheço gays que já tiveram atração pelo sexo oposto : o que eles são então ?!?!
    Abraços a todos, Gustavo – RJ.

  397. THIERS BARCELLOS diz:

    Caro Jean,

    Por textos bem escritos como este é que sinto orgulho de ter um representante como voce no nosso tao comprometido congresso. Parabens!!!!!

  398. Maiara diz:

    Jean, antes de mais nada, parabéns pelo texto. Vou compartilhar sua mensagem entre o maior número de amigos porque esse é o pensamento que deve ser difundido entre as pessoas.
    O preconceito, seja ele qual for, é uma das práticas mais absurdas que existem atualmente, e é revoltante que alguém se utilize de um meio de comunicação para propagar idéias como essa.

  399. Márcio Rocha diz:

    Sou sergipano, mas meu título é carioca, por isso que viajei até o Rio de Janeiro somente pra votar nesse homem.Parabéns, Jean!
    abraço.

  400. Ari Lucena diz:

    Parabéns Deputado Jean pelo belíssimo texto em resposta a este mar de preconceito do Mister Veja que de veja não tem nada a ser visto a não a hipocrisia de quem a escreve, uma verdadeira imprensa marrom que está envolvida até a alma com o escândalo do senhor Cachoeira pra todo mundo ver e ouvir na midia nacional

  401. R.F diz:

    Acho que o que nos falta é o respeito pelo próximo e pela sua intimidade. A cor da pele, a orientação religiosa ou sexual fica na esfera íntima, e por isso não está aberta a julgamento público. Deve-se gostar ou não de alguém pelo seu coração e suas ações; e não pelo o que ela faz ou deixa de fazer em sua vida privada.
    Amor, paz e repeito ao próximo vale para todos; e não apenas para o mundo do discurso, ou para o heterossexual ou para o praticante de alguma esfera religiosa.
    Façamos um mundo melhor através do respeito.

  402. Dadiesca diz:

    Melhor resposta impossível!!!!!!

  403. Ive diz:

    Jean, você realmente genial. Obrigada por ter escrito tão sabias palavras.

  404. Sefanie Santos diz:

    Parabéns Jeans!!!

  405. Rosvita R. Da Silva diz:

    Meu querido, creio que a posição extremista defensiva lhe faz interpretar tudo de forma a ver sempre agressão onde talvez haja apenas falta de tato ao expor uma idéia. Acho muito pobre ver discriminação em tudo, as pessoas são diversas e devem se respeitar assim e isso inclui não se sentir tão provocado. Um abraço.

  406. Mailson Santos diz:

    Lixo é isso que vc escreveu, vivemos em um país liberto de toda opressão se vc tem direito de ser homossexual, temos o direito sermos contra e não apoiar sua causa.

  407. Leslye diz:

    Olá Jean, adorei teu texto.
    Há temas que é melhor que as pessoas não lidem com ele porque reforçam-no inevitavelmente – foi o que se passou com Guzzo: desfilou meandros do preconceito.
    Quando aRede Globo exibia o VOCÊ DECIDE, teve um episódio de uma moça branca e de um moço negro que se envolvem sem ainda se conhecerem (se virem), e aí, se encontram, aparecia o apresentador do programa com a pergunta: o que faria você se o rapaz é tudo o que uma mulher quer (rico, médico, etc), e aí vinha:”mas, é negro”. Nem toda a mulher queria o que era apontado e e a objeção (“mas”) era simplesmente absurda. Teve outro episódio em que uma mulher (interpretada pela engraçadíssima atriz Cláudia Gimenez) se relacionava com dois homens e não poderia viver sem qualquer um deles, se bem me lembro, eles morrem e só podem viver o amor nessa forma noutro lugar – significativamente – longe dos demais, numa alusão (do enredo, e não de certo da perspectiva dos atores) à getização da diferença.
    Eis aí dois exemplos da falta de destreza na abordagem de alguns temas em que, ainda dizendo o contrário, o preconceito se expressa (como no texto de Guzzo) e traz evidenciadas as suas estruturas em um texto de que não flui, talvez porque ele estivesse ali tentando arrumar o lugar das coisas e das idéias para si mesmo… o resultado foi horrível.

  408. CARLOS diz:

    É incrível como me sinto à vontade de escrever mesmo sabendo que os verdadeiros “reacionários” lerão com seus olhos deturpados e tomados por arrogância e preconceito. A linguagem metafórica seja usado que termo for (poética, revolucinária, etc…) só tem valor quando vem das ditas mentes brilhantes do meio artístico. Chamar o o jornalista de imbecil no primeiro parágrafo e avaliar de forma primária e literal o uso de cabra e espinafre já mostra, para usar seus termos, a má fé do nobre deputado. Por que iniciei dizendo que me sinto à vontade? Convivi desde pequeno com colega homossexual. Seria hipócrita, e não vou cair nessa armadilha num momento de emoção,se disser que não houve brincadeiras jocosas ou preconceitos. Houve tanto com os magrelos, os negros, os gordos, torcedores do América, etc…. Aliás alguns desses outros sofreram muito mais. Ocorre que crescemos convivendo e hoje conseguimos reunir em reuniões quase 50 pessoas que se respeitam desde a infância. Sou hetero, tenho família e filhos. Homossexuais frequentam a minha casa e jamais incentivei meninos ou meninas a um comportamento de preconceito ou desrespeito. Mas concordo com o jornalista comecei a me senti desrespeitado há algum tempo por essas campanhas feitas para criar segregação a pretexto de igualar direitos. Continuo tratando o indivíduo como ele é. Concordo ou discordo de suas opiniões seja ele gay, negro, judeu, gordo, deficiente, etc…. Mas agora paraece que tenho sempre que “perder” para as ditas minorias ou será sempre usado o argumento distorcido do PRECONCEITO. Aliás essa palavra assim com PROMOÇÃO nas lojas deveria ser banida da lígua portuguesa tal o uso distorcido irresponsável como tem sido usadas.
    Preconceito para mim é não ter liberdade de opinião e ser vítima dessa patrulha feita por essas “comunidades” que com seu texto vc só reafirma que não existem. Para mim é inacreditável a amplitude que querem dar a um comportamento que deveria ser apenas sexual. Entre no seu quarto ou no seu motel e transe com quem vc quiser (adulto é claro). Eu não vou me incomodar nem um pouco. Nem eu nem ninguém quer ou precisa sequer saber o que rola na sua intimidade. Agora convença os seus seguidores cegos de que transformar isso num “movimento”não tem sido um grande negócio para alguns. Vcs estão alimentando discriminação, segregação e preconceito com paradas, movimentos, comunidades, cotas, etc… Tenho que me controlar e lembrar da individualidade do cidadão que está na minha frente para não me deixar contagiar por um sentimento que nunca tive: RAIVA DESSA PALHAÇADA. Felizmente existem gays e negros” inteligentes e independentes que não querem fazer parte dessas “comunidades” nem ser joguete nas mãos de interesseiros. Esses terão sempre meu respeito, minha amizade e talvez meu voto (se eu concordar politicamente com eles). Preconceito eu não tive. Mas vai ser difícil convencer meu filho de que ele perdeu uma vaga porque o outro era gay ou negro.
    Não o conhecia mas te pago para melhorar o país. Pessoas como vc e outros que apoiaram seu texto aqui, só incitam a discriminação e preconceito. Como vc usou o termo não deve achar tão ofensivo. Poderia pensar: Meu amigo ou vc é um imbecil ou usa de má fé. Esperança que talvez não seja nem um nem outro. Reflita. Talvez vc reconsidere um pouco.

  409. Marcos Santos diz:

    Para um cara inteligente como voce, deveria ser facil entender nas entrelinhas o que Guzzo quis dizer. Mas esta tao enevoado pela causa gay que nao consegue enxergar. Todos devem ser respeitados!

  410. osvaldo gonçalves diz:

    Considerando a subjetividade da resposta, percebe-se que tem um sentimento de negação à publicação do referido jornalista,essa negação me reporta a seguinte pergunta; O olhar do outro, conforme voce acentua, não deve ser respeitado.

  411. Virgínia Derciliano diz:

    Eu geralmente evito a revista Veja, pra não precisar “dominar o asco” diante da maioria das coisas nela publicadas, mas fiz questão de ler o tal artigo. Só digo que sua resposta está lindamente a altura, e que gostaria que não fosse necessário precisar explicar a alguém a diferença entre um ser humano e uma cabra.

  412. Lúcia Silva diz:

    Um absurdo que jornalistas desse tipo continuem a usar suas profissões para estimular e disseminar mais preconceitos. Que bom que temos quem responda à altura. Parabéns pelo artigo Jean Willis. Sou professora universitária, com doutorado em Psicologia e vivo com uma super companheira há quase 20 anos. Criamos juntas os meus / nossos dois filhos e digo que esta relação, ao contrário do que diz o senhor Guzzo, gerou sim uma bela família. Eu o desafio a provar o contrário.

  413. Ana Cecília diz:

    Jean, não conhecia seu trabalho e achava (me desculpe o preconceito) que você era só mais um ex-bbb. Fiquei encantada com o texto, com os argumentos, com o nível ético da discussão, com a qualidade da escrita, com tudo. Meus sinceros parabéns e minha felicidade por saber que os GLBT contam com seu apoio nessa luta por nada mais do que seus direitos!

  414. Joice F.Santos diz:

    Muito bem escrito. Ótimas palavras. Não li o artigo mais fica aqui minha indignação ao modo como tratam os direitos das pessoas como piada.
    “Se ele tem sonhos frustados com a cabra ninguém tem culpa.”
    Parabéns Jean

  415. Gaspar diz:

    Parabéns!

  416. Felipe diz:

    nosssaaa, muito bom… inquestionável… só não entenderam o que a matéria quis dizer… ha ha, vamos comprar VEJA “multiabuso” e lavar essa p…

  417. Renata diz:

    Caro Jean,

    Com uma escrita louvável como a sua, não precisava apelar para baixaria!

    Interessante, perceber que entende de relacionamento humano e de redação!

    Não concordo como o casamento Gay porque acredito que Deus Fez o homem para Mulher e vice versa!

    Fique com Deus

  418. alice diz:

    Jean como sempre defendendo com brilhantismo, unhas e dentes, tal questão. Muito bom ver que existem pessoas que não se calam diante a esse absurdo preconceito !

  419. Gustavo diz:

    Deputado, sem entrar em outros méritos, apenas não entendo qual a utilidade de se tipificar a homofobia. Qualquer conduta criminosa em desfavor de um homossexual já se encontra tipificada no Código Penal. Realmente, precisa ser bem delineado o que se entende por homofobia. Talvez essa foi a parte mais importante do texto de Guzzo que não foi abordada aqui. O receio é de que se tipifique um crime cuja redação demasiadamente aberta faça com que qualquer opinião desfavorável à homossexualidade torne-se crime. Nenhuma conduta humana está imune à criticas, nem mesmo a homossexualidade. Gostaria que o senhor explicitasse quais condutas seriam consideradas crimes pelo tipo penal da homofobia e o que haveria de novo no tipo penal que já não se encontra nos tipos penais existentes. Enfim, o que se quer com a aprovação no Congresso do crime de homofobia?

  420. Theo Cavalcante diz:

    Sou hétero, tenho 6 filhos com duas mulheres, mas lamento saber que a cabra não pensa… se assim o fizesse, certamente o sr. guzzo não ´´gozaria“, sequer, da relação estável que mantem com ela… Assim como vc Jean, sou baiano de Alagoinhas! Moro em Goiás ha 18 anos e tenho grandes amigos e amigas Homossexuais, que constituíram famílias sólidas e conquistaram o respeito dos amigos! Parabéns pelo brilhante trabalho parlamentar, não pela defeza dos direitos dos LGB;, mas, sobre tudo, pela defesa intransigente dos direitos de todos os cidadãos!

  421. Eliana Miranda Ribeiro diz:

    Palavras muito bem ditas!

  422. Alvaro Mendes diz:

    Sinceramente,Jean Wyllys você ESPINAFROU um consagrado reduto homofóbico e outras taras de um pretenso veículo de comunicação da imprenssa escrita,mestra em plantar dossiês,e ficar em cima do muro.É o que a Veja entende por formar opinião.Ou veja que podridão!

  423. REGINA LEME PEREIRA LEITE diz:

    Em pleno século XXI, quando convivemos com diversidades… Que retrocesso!

  424. Nathércia Silvestre diz:

    Jean, seu texto, muito bem escrito, traz argumentos irrefutáveis. Parabéns e obrigada!

  425. roberto a. sobrinho diz:

    As aspirações dos negros, legítimas ou não, não são e nunca poderão ser comparadas com as aspirações , legítimas ou não dos homossexuais.
    Com todo o respeito, a começar pelo fato de sermos, os negros, uma etnia e não frutos de comportamento, orientação ou opção sexual.
    Somos antes de tudo, geneticamente e culturalmente negros, retirados violentamente do nosso ambiente, explorados covardemente e vítimas de um genocídio constante.
    Homossexuais existem em todas as raças (na nossa também) e sobretudo naquelas que tradicionalmente vem nos oprimindo. Não seria lógico, ou mesmo histórico e nem mesmo justo com todos os negros que sofrem ou já sofreram abusos, alinhar essas ideologias. Obrigado.

  426. NAUM ALVES DE SOUZA diz:

    PARABENS, CARO E BRAVO JEAN WILLIS.
    GRANDE ABRAÇO
    NAUM ALVES DE SOUZA

  427. Ruan diz:

    ” relacionamento dele com uma cabra (…)esses exemplos de sua vida pessoal”
    “voz dos imbecis”
    “Se ele tem sonhos frustados com a cabra ninguém tem culpa.”

    Incrível essa demonstração de injúria e difamação, uso lindo da ironia para ofender a Guzzo, ótimo preconceito já que parece que Jean não conhece o jornalista.

    É incrível como nossa sociedade acha que alguns grupos podem falar o que querem e não podem ouvir nada.
    Aliás, “homossexualismo” é uma expressão equivocada, mas usada por toda a sociedade, criticar o texto com esse argumento é a coisa mais ridícula aqui.
    Além disso, o texto não se resumo a “cabras” e “espinafre”, e causou tanto ódio e “asco” na comunidade gay porque questiona abertamente e com razoabilidade várias ideias mal-concebidas que tem se espalhado sem um cuidado de reflexão melhor.
    É bom lembrar que o texto demonstra em diversos momentos respeito aos homossexuais e à seu real sofrimento, só faz um crítica aos meios de reivindicação que tem sido utilizados.

  428. Osorio diz:

    Gostei. Mas, vamos deixar as cabras em paz. E os cabras também.

  429. Apocalipse diz:

    As pessoas podem ser o que quiserem ser, agora, ninguém tem a obrigação de aceitar! Tolerar seria a palavra certa! Vc pode ser o que quiser,é um direito seu! po outro lado, eu também, aceito se quiser, é um direito meu! Agora, humilhar, chacotar, descriminar, isso já é outro departamento, afinal de contas, tôdos somos seres humanos.

  430. Bruna diz:

    Legal. O tal do Guzzo pratica um CRIME bárbaro como a zoofilia e ainda tem a ousadia de achar isso “normal” e de querer equiparar estupro de animais (sim, relação sexual entre humano e animal tecnicamente configura estupro) a relações homoafetivas. Não há palavras que possam descrever com exatidão o meu nojo e repugnância às palavras desse senhor.

  431. Paulo Machado diz:

    Excelente, Jean. Vc diz tudo como eu queria que alguém dissesse. Pessoalmente, já tinha decidido deixar de ser assinante da VEJA. Com seu artigo, a decisão está mesma tomada.

  432. Hiojuma Figueiredo de Morais Monteiro diz:

    Muito bom seu texto!!
    Mas o pior, é pensar que além do Guzzo, vem o editor e outros mais que fazem parte desta revista, que cada vez mais tem publicado matérias que podemos chamar de: “VEJA, O LIXO SEMANAL.”

  433. Alcides Pereira diz:

    Jean voce falou tudo, não precisa falar mais nada !!! Parabens !!!

  434. Fernando diz:

    “Os argumentos de Guzzo … peça de má fé e desonestidade intelectual a serviço do reacionarismo da revista”. Independente dos outros tópicos abordados, tem de se haver mais cuidado com generalismos. Veja já publicou, em capa, matérias favoráveis à diversidade sexual – Jovens, gays e felizes, por ex. – e seu principal colunista é abertamente favorável ao casamento gay como publicado várias vezes em seu blog. Guzzo postou uma opinião meramente pessoal, pelo seu prestigio pessoal, mas que nao corresponde ao histórico de pautas do Grupo Abril e Veja. Dizer isso é agir de má-fé.

  435. maria cecilia diz:

    Jean fico feliz que possamos ter em nossos fronts de luta uma pessoa como você! Força!

  436. Nádia Dias diz:

    Deputado Jean, são pessoas como Guzzo que entram na história como “aquele que deveria ter ficado calado”.
    Quando a você, meu filho, continue falando e lutando..as mães agradecem. Minha filha não é gay, mas se fosse eu gostaria que alguém dentro de lixo de Brasilia erguesse a voz e falasse pelo interesse dela.
    Eu não sou mãe de gay, mas isso não me impede de ver o sofrimento deles e das famílias que se importam.
    quanto à cabra do sr. Guzzo…pobrezinha da cabra! chamem o Green Peace, peloamordedeus…ela deve estar sofrendo horrivelmente (hahaha).
    Um abraço!

  437. Julia diz:

    Perfeito, parabéns! VEJA, QUE LIXO!

  438. Nina Lima diz:

    Primeiro, li seu texto. Depois li o de Guzzo. Depois o seu, novamente. As mentiras de Guzzo me enojaram. Mas confesso que muitas das argumentações que ele utilizou, eu concordei.Pois que venha a esperada lei e trace delimitações claras para que, os não homofóbicos e, em por isso, simpatizantes, tenham a certeza de não estarem cometendo nenhum crime.

  439. Michelle Dias diz:

    Parabéns pela excelente resposta, infelizmente existem muitos “Guzzos” por aí parasitando com as suas práticas homofóbicas e se auto-declarando “normais”.
    Amei o texto!!!

  440. Ronaldo diz:

    Jean, vc é uma das pessoa mais inteligentes que ja vi, gosto muito do seu trabalho em favor do movimento LGBT, gostaria muito que as pessoa lessem, ouvissem, entendessem e compreendessem suas palavras e do Dr. Drauzio (assisti o roda viva com ele, que vc estava presente e vcs dois falaram coisa preciosos sobre os/as gays), continue assim, quem sabe um dia conseguimos fazer com que algumas pessoa entendam e mudem de lado e nos apoie nessa luta.

  441. Paulo Barra RJ diz:

    Parabéns. Há muita lucidez na resposta do Jean. Realmente é interessante notar a maneira como o Bozzo, digo Guzzo se refere à lei: como imutável ou intransponível. A sociedade a faz da mesma forma que a derruba. Seus argumentos são fracos e idiotas. Assim, até mesmo a fantasia do Guzzo por um casamento com uma cabra poderia vir a acontecer, desde que a sociedade e todas as suas instituições o quisessem. Mas, nós gays não sentimos atração pelas cabras, e sim como bem disse o Jean, por eles: os cabras. E isso está bem perto de acontecer. Pode espernear o quanto quiser! Já temos o apoio de grande parte da população para corrigir esta injustiça. Mas quanto à aberração do seu desejo de ter um casamento com uma cabra, sr Guzzo, o senhor ainda vai ter que lutar muito. Não parece ser o desejo de uma grande maioria. E, certamente, não vai ter o apoio dos gays.

  442. Fabiana Lacerda diz:

    Graças aos Deuses temos pessoas como você Jean Willis na política. Parabéns pelo posicionamento feito com muita propriedade, técnica e acima de tudo com muita classe e educação, coisas que faltaram a um jornalista que no mínimo para escrever, deveria tê-lo. Estamos precisando muito de pessoas com bom censo e ética em todos os lugares e profissões, parece que estas “coisas” estão fora de moda. Num mundo em que a sociedade começa a colocar preço em valores éticos e cívicos, que não poderiam tê-lo (vide, mensalões, leilões de virgindade, etc.), estamos necessitados de vozes como a sua para representar a sociedade, principalmente as minorias tão discriminadas.
    Mais uma vez parabéns, e que você continue a alçar posições mais altas neste cenário político nosso tão deficiente de representantes com ética, cidadania e civilidade (e vergonha na cara mesmo!!).

  443. Itatiana Carvalho diz:

    Parabéns! sou sua fã, uma pena que você não venha se candidatar em Salvador. Cada dia que passa admiro seu trabalho

  444. Roberto Vasconcelos Novaes diz:

    Parabéns pelo texto. O que me espanta é que ainda tem gente que lê aquela porcaria de revistinha. Mas sabemos nós que cada dia que passa essa revista fala mais para ela mesma. Terá o mesmo destino de “O Cruzeiro”, ou seja, será esquecida pelo “reacionarismo”, burrice e preconceito.

  445. Fernando Reis diz:

    Foi com espanto que li o referido artigo, e com mais espanto ainda, os “argumentos” utilizado por J.R.Guzzo para justificar o injustificável: as pessoas devem ser tratadas igualmente pelo simples fato de serem pessoas, e não objetos ou coisas que podem ser compradas, usadas e descartadas.

    Dignidade pertence ao branco, ao negro e ao amarelo; diz respeito ao homem e a mulher; deve ser aplicado ao nascituro, à criança e adolescente, ao adulto e ao idoso; abraçado pelo espiritualista, o agnóstico e o ateu.

    Porque será então que não se pode garantir dignidade (leia-se então vida, igualdade, liberdade, segurança, propriedade e respeito) àqueles que, sem direito de escolha e sem se debaterem com uma única crença religiosa ou moralista, tem sua identidade sexual diferente da identidade heterosexual?

  446. Iany Ramos diz:

    Parabéns Jean Wyllys,tenho muito orgulho e adimiração por você!
    Abraços,

    Iany RAmos

  447. Santos diz:

    Resposta na medida certa.
    Parabens Jean, e sucesso na sua carreira e no seu objetivo que e um Pais igual para todos.

  448. Vandeilton diz:

    Jean, sua interpretação de texto é um lixo (para usar as mesmas palavras que você). Proponho que leia novamente o artigo do Guzzo.
    .
    Em muitos aspectos, ele diz exatamente o mesmo que você, principalmente sobre a independência entre a orientação sexual e os estilos de vida de cada pessoa, sendo esta independência tão marcante que impede a caracterização dos gays como um grupo definido.
    .
    Em outros aspectos, ele discorda frontalmente de você, principalmente no que diz respeito aos gays buscarem direitos que os heterossexuais e evangélicos não têm.
    .
    Um exemplo do que foi dito acima é o fato de se querer uma lei que proíba a livre manifestação de idéias sobre a homossexualidade.
    .
    Quando as crenças religiosas são alvos de manifestações de pensamento mais críticas (humor, piadas, personagens caricatos em novelas e outras), os evangélicos não dispõem de uma lei só para ser usada por eles para taxar quem os criticam de “preconceituosos”. Nem os heterossexuais o tem. Mas os gays querem uma lei só para eles.
    .
    O Guzzo especificou bem esta parte em seu artigo. Todos os crimes que alguém possa cometer contra um homossexual são passíveis de punição pela legislação atual, mesmo que a palavra “orientação sexual” não esteja explicitamente descrita na lei. Para se punir a homofobia, atualmente, os juízes usam muito bem as alegorias e as jurisprudências. E a coisa funciona.
    Se tiver algum crime que não seja previsto no código penal, este atinge tanto os homossexuais como os heterossexuais.
    Uma lei só para crimes contra a orientação sexual, além de redundante na legislação, só serve para destacar o assunto dos demais crimes de preconceito. E é justamente a pretensão a este destaque que é motivo de crítica.
    .
    Por outro lado, concordo contigo que ele foi infeliz quando falou do casamento gay, e que você tem razão quando diz que a lei é exatamente o que os gays questionam.
    Além disto, concordo também que a comparação que ele usou (da cabra) foi infeliz, mas em nenhum momento o texto dá a entender que a intenção do autor extrapola o campo das figuras de linguagem. Aquilo foi só uma comparação.
    .
    Sua interpretação do texto(não sei se por burrice ou por má-fé, só para usar as suas palavras) no sentido de que o autor tem “relações estáveis” com uma cabra é provocativa e preconceituosa, pois toma a liberdade de deturpar uma figura de linguagem para, através dela, humilhar e desmerecer o interlocutor, passando depois disto para o famoso bordão dos gays: taxar de homofóbicos todos os que têm uma opinião não compartilhada pelos gays.
    .
    Aliás, é justamente este tipo de banalização do termo “homofobia”, do uso abusivo do mesmo como uma forma de atacar o interlocutor (ao invés de se rebater os argumentos do mesmo, somente) que o Guzzo destacou em seu texto. Esta sua resposta só confirmou que ele estava certo. Você não só atacou a pessoa dele como deturpou suas figuras de linguagem e seu erro ao usar o antigo termo “homossexualismo” para o acusar de homofóbico.
    .
    Sim, reconheço que o termo homossexualismo remete aos tempos em que a homossexualidade era considerada doença. Desde 1973 a Sociedade Americana de Psiquiatria considera a homossexualidade como uma orientação sexual.
    Certo, isto está nos livros e quem é médico, advogado, gay e as pessoas melhor providas de cultura sabem que o termo “homossexualismo” tinha esta conotação de doença e que por isto está em desuso. Quem mais? ninguém. O brasileiro comum nem sonha que “ismo” significa doença. Se perguntares nas ruas qual a diferença entre “homossexualismo” e “homossexualidade”, a resposta mais comum será: Não sei.
    .
    Então, se o autor usou o termo “homossexualismo”, quem interpretará este uso como uma manifestação de preconceito? só as pessoas que sabem diferenciar homossexualismo de homossexualidade. Justamente as pessoas que têm o conhecimento que homossexualidade não é doença. Justamente o público que já têm “a cabeça feita”.
    Aquele público mais propício a ser influenciado, aquele sem cultura, este nem perceberá a “provável” intenção preconceituosa do autor.
    .
    Então, porque um jornalista usaria de um artifício deste, que não atingiria o público mais propenso a ser influenciado, para propalar seu preconceito?
    A resposta que vejo é que você está vendo chifre em cabeça de cavalo. Está vendo coisas que não aconteceram. O autor errou ao usar o termo, assim como milhares de pessoas erram diariamente ao comentar sobre este assunto, e nem por isto todas têm a intenção de propalar preconceito.
    .
    É por isto que os brasileiros comuns estão com medo de falar ou comentar sobre os homossexuais. Têm medo de serem taxados de homofóbicos (a chance é grande, diga-se de passagem) e serem punidos judicialmente. Ou você acha que todos têm o conhecimento, a gramática e a oratória necessárias para versar sobre este assunto sem deixar uma frasezinha que seja que possa ser interpretada como “homofóbica”?
    .
    Com esta atitude agressiva, os homossexuais estão transformando sua sexualidade em um tabu, pois ela acabará virando um assunto proibido.
    .
    Todos sabemos que, a partir do momento que um assunto vira tabu, o preconceito está fadado à eternidade, pois o tabu evita o diálogo, e sem diálogo não há convencimento. E sem convencimento não há preconceito que acabe.
    .
    Então, se os gays querem mesmo que se acabe a violência e o preconceito, não adianta fazer isto por lei, pois isto só transformará o assunto em tabu, com a repressão do diálogo necessário para se acabar com o preconceito.
    .
    Quando citastes os crimes motivados exclusivamente pela orientação homossexual da vítima, como você acha que descobriram esta motivação? foi porque o agressor falou para alguém que a motivação era de caráter sexista. Mas e se ele não falasse nada, mas apesar de ficar calado, seu preconceito fosse o suficiente para matar? adiantou a lei o obrigar a ficar calado? a lei diminuiu o preconceito? talvez nas estatísticas sim, pois este caso seria tratado como um crime comum. Mas, na realidade era um crime de preconceito sexual.
    .
    A saída é sempre a velha e ortodoxa educação. Devemos nos empenhar que os investimentos e o ensino por mérito seja encarado com seriedade na educação. Em longo prazo, teremos pessoas mais críticas, que terão condições de aceitar o contraditória e flexibilidade cultural suficiente para aceitar as diferenças naturais do homem.
    .
    Preconceito não se acaba com canetadas (leis) e tabus. Só com cultura e educação … e em longo prazo.

  449. Vandeilton diz:

    Outra coisa:
    1) de onde você tirou que esta estatística se refere somente aos crimes comprovadamente com motivação homofóbica?
    2) como se comprovou esta motivação?
    3) quem conseguiu fazer esta estatística sob a luz do contraditória e livre defesa? já que somente a partir de 2009 a homofobia passou a ser mais destacada na sociedade, o que reforça o pensamento de que em 2010 dificilmente os registros policiais e jurídicos incluiriam esta informação em todos os homicídios e demais crimes.
    .
    Eu encontrei neste site:
    htt p://w ww.gg b.org. br/As sassina tos%20de%2 0homossexuai s%20no%20Bra sil%20 relatorio%2 0gera l%20com pleto.h tml,
    onde o professor Luiz Mott declara ao Grupo Gay da Bahia (GGB) que todos os crimes contra homossexuais podem ser entendidos como advindos do ódio à orientação sexual da vítima (fruto de homofobia, portanto), pois, em suas palavras, “… a vulnerabilidade dos homossexuais e a homofobia cultural e institucional justificam sua qualificação como crimes de ódio”.
    .
    Nunca vi argumento mais esdrúxulo e sem fundamentação estatístico/científica.
    .
    Na verdade, este argumento é fruto de puro “achismo” e bem típico de alguém movido apenas pela ideologia. De alguém, portanto, que não merece o título que professa ter: professor.

  450. Renato Cordeiro diz:

    Deputado.
    Tenho orgulho de tê-lo como um parlamentar do meu país. Obrigado por este artigo e por sua conduta ética, coerente e corajosa. Um abraço. Renato Cordeiro

  451. Lucas diz:

    Parabéns! Soa muito estranho a comparação do seu texto com a de Guzzo. É como estar respondendo e discutindo com uma criança. Guzzo foi medíocre e infame!

  452. Ricardo A. Leite diz:

    Parabéns pela coerência, perspicácia e fina ironia na resposta ao texto porco do Sr. Guzzo. À despeito de toda e qualquer inclinação, gosto ou desgosto ou preferência de ordem pessoal em relação aos mais variados tipos de pessoas que existem e que fazem parte desse nosso mundão de meu Deus, fato é que TODOS merecem respeito e serem tratados com dignidade, com deveres e direitos iguais. Posso não querer ter contato, não gostar, me incomodar ou seja lá o que for em relação às pessoas que tem relações homossexuais (ou que gostem de cabras ou comam espinafre…) mas tenho o DEVER de respeitá-los enquanto cidadãos, como pessoas. Isso é inexcapável, indiscutível.

  453. Fernando Caldas diz:

    Caro Jean. Discordo que a utilização do “ismo” no texto de Guzzo tenha sido intencional. Acho que é mesmo falta de conhecimento, até muito comum. Pelo comum, prefiro acreditar na regra em si, que na exceção (o que se revelaria pela má-fé).
    Quanto ao estilo de vida gay, acredito ser oriundo de um rótulo, sempre prejudicial, de que os homossexuais são sempre seres caricatos, espalhafatosos e absolutamente loucos por sexo. Neste ponto, arrisco-me a dizer que é burrice mesmo. Burrice porque, além da falta de conhecimento, ainda há a insistência de permanecer nela. Sabendo que está errado, argumanta pela emotividade abraçada por aqueles que rejeitam os homossexuais. Teimoso e empacado, é mesmo coisa de burro. Por isto, é burrice.
    Sobre o direito dos gays a um casamento civil, concordo que a pretensão é calcada na igualdade, e não na diferença. Aliás, o nosso SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA também parece pensar assim (REsp 1183378/RS, Rel. Ministro LUIS FELIPE SALOMÃO, QUARTA TURMA, julgado em 25/10/2011, DJe 01/02/2012). Este citado precedente diz que É POSSÍVEL O CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO.
    Futuramente, quem sabe, pode até ser que se reconheça o casamento de pessoas com cabras, mas o sr. Guzzo terá que aguardar mais um tanto.
    Aliás, sobre a argumentação da vedação de casamento com cabras, feita pelo Guzzo, não posso me conter. São realidades absolutamente distintas, sendo imprestável a comparação. Não se trata de sexo (nem amor). TRATA-SE DE FAMÍLIA. A argumentação chula e ignóbil ofende em muito; ainda pior, tem a intenção de ofender. Isto sim é má-fé! Além de falaciosa a argumentação (porque distoa da lógica, utilizando um argumento meramente emotivo), é burro (falta conhecimento, está empacado, insiste em permanecer ali).
    Há discussão séria se o conceito de família abarcaria um homem com mais de uma esposa. Por enquanto, nossa sociedade não vê isso com bons olhos. Como é o caso dos gays (o que tem diminuido, eu acho). Mas são questões parecidas no único ponto em que se discute: o que é uma família?
    Por certo que uma cabra e seu espinafre não forma uma família. Tampouco a cabra e sua amante humana. O bode a cabra com sua prole sim, estes formam uma família de cabras. Porém, não há proteção jurídica à família de cabras. Pois, o cenceito jurídico de família exige que seja de pessoas.

  454. Isabela diz:

    Jean,

    parabéns pelo belo texto! Infelizmente ainda temos que dominar nosso asco ante esse pseudo-jornalismo SEMPRE preconceituoso e parcial exercido por essa revista de quinta, que continua a pregar a exclusão não só dos homossexuais, mas de outros grupos, como os indígenas e negros também. Confesso que hoje meu principal meio de informação é a Internet – já deixou há muito de ser essa pobreza travestida de intelectualidade que a Veja representa!

  455. Isabela diz:

    Em relação à usual pseudo-intelectualidade das reportagens desta revistinha de quinta, recomendo a leitura deste também ótimo texto, que responde à tosquidão de um texto da Veja sobre os Guarani-Kaiowá:
    http://racismoambiental.net.br/2012/11/o-leitor-vulneravel-em-tempos-de-consciencia-bovina/#.UKpxdNLKtlU.facebook

  456. Roberto diz:

    Jean

    Eu sou heterossexual nao importa se eu gosto ou nao gosto de gays o q importa q todos somos iguais e todos devemos ser tratados iguais .

  457. Ramon diz:

    Jean, talvez esse fosse o momento de compreender que existe uma parcela da população que é contra o movimento GLBT por medo. Na cabeça deles, o movimento tenta obrigar todos a serem homosexuais. Por mais estúpido que isso parece, é uma realidade, então políticas públicas são necessárias para o esclarecimento.

  458. leandro diz:

    Jean, parabens,achei fantastica sua analise do que Guzzo falou sobre a homosexualidade… perfeito.. parabens

  459. Renata diz:

    Excelente texto.
    Parabéns,Jean.

  460. Danubia Felix diz:

    Nossa!! Cheguei a ficar sem fôlego, depois que li o seu texto Wyllys!! Vc e demais!!!

  461. bruno diz:

    Parabéns Jean,

    Pessoas como você que merecem estar na política. Escreva sim! Fale por nós!
    Precisamos muito de você.
    Sempre achei a Veja um lixo e continuo achando. Precisamos de mais pessoas para falar em voz alta!

  462. Mix diz:

    Caro Jean, parabéns por sua luta em defesa das minorias. Sou ateu e gostaria que você enfatizasse mais e mais a luta dos agnósticos e ateus do Brasil. Estamos juntos nessa luta contra a ignorância e a falta da livre expressão!

  463. Flávia Angelo Verceze diz:

    Quando vejo que existem pessoas igual a você no mundo e principalmente na política minha esperança aumenta e consigo acreditar que um dia as coisas vão mudar.

  464. Carol diz:

    Concordo com vc. O texto desse sujeito chega a dar nojo. Gostaria apenas de fazer uma ressalva:

    “Pode-se gostar ou não gostar de quem quiser na sua intimidade (De cabra, inclusive, caro Guzzo, por mais estranho que seu gosto me pareça!).”

    Não, não pode. Zoofilia é crime! (assim como pedofilia, que este sujeito tb citou na sua feliz comparação, dizendo q vc podia se relacionar com um adolescente de 14 anos, mas não poderia casar com ele.

  465. Lau diz:

    Honestamente, ainda não entendo como existem pessoas com o “pensamento” como o dese Guzzo. Falta coerência, justificativa, lógica.

    Um texto desse não se faz nem em redação de escola.

  466. maria cardoso diz:

    Obrigado por enviar mais este texto!
    Um beijo, te gosto muintcho! Suerte e lucidez, siempre!

  467. Eliene Cêta diz:

    Jean, somente quem sente sua dor, é quem geme e por isso digo que realmente precisamos de você e de pessoas com o mesmo intuito. Parabéns pelo texto. Forte abraço!

  468. Leonardo de Souza Oliveira diz:

    PARABÉNS PELO EXCELENTE TEXTO!

  469. Valéria Elias diz:

    Meus aplausos! Muito bom mesmo!

  470. Roger Libório diz:

    Que prazer ler este texto. Não para descobrir o que todos já sabem sobre certos veículos de imprensa (imprensa?), mas pela lucidez e capacidade do Sr. deputado Jean em desconstruir falácias, em esclarecer sem rodeios, em abrir didaticamente os olhos. E sem ativismo e sim altruismo para com os ignorantes. Coisa que o cara ainda faz com poesia e intertextualidade (adorei a citação a Geni). Vivemos num país plural, multirracial, alegre, cujos melhores frutos sócio-culturais provêm de uma riquíssima diversidade de valores e crenças, multifacetadas e complementares. Um país que, imenso na sua extensão, consegue a façanha de falar uma mesma língua. Língua que Jean fala tão bem e usa da melhor forma possível para comunicar o que todos deveriam saber. Nesse país, Jean Willys, de nome americanizado mas autêtico baiano, ex-vencedor de um reality show e intelectual, gay assumido e perfeito representante de todos, jornalista sério e político atípico (pois não corrupto), seria um grandíssimo presidente da república.

  471. Roberto diz:

    Discordo quando dizem que a revista Veja é um lixo.
    Afinal, o lixo pode ser reciclado…

Deixe o seu comentário

-->